terça-feira, 30 de setembro de 2014

30 de setembro- Dia de São Jerônimo


É incontestável o grande débito que a cultura e os cristãos, de todos os tempos, têm com este santo de inteligência brilhante e temperamento intratável. Jerônimo nasceu em uma família muito rica na Dalmácia, hoje Croácia, no ano 347. Com a morte dos pais, herdou uma boa fortuna, que aplicou na realização de sua vocação para os estudos, pois tinha uma inteligência privilegiada. Viajou para Roma, onde procurou os melhores mestres de retórica e desfrutou a juventude com uma certa liberdade. Jerônimo estudou por toda a vida, viajando da Europa ao Oriente com sua biblioteca dos clássicos antigos, nos quais era formado e graduado doutor.
Ele foi batizado pelo papa Libério, já com 25 anos de idade. Passando pela França, conheceu um monastério e decidiu retirar-se para vivenciar a experiência espiritual. Uma de suas características era o gosto pelas entregas radicais. Ficou muitos anos no deserto da Síria, praticando rigorosos jejuns e penitências, que quase o levaram à morte. Em 375, depois de uma doença, Jerônimo passou ao estudo da Bíblia com renovada paixão. Foi ordenado sacerdote pelo bispo Paulino, na Antioquia, em 379. Mas Jerônimo não tinha vocação pastoral e decidiu que seria um monge dedicado à reflexão, ao estudo e divulgação do cristianismo.
Voltou para Roma em 382, chamado pelo papa Dâmaso, para ser seu secretário particular. Jerônimo foi incumbido de traduzir a Bíblia, do grego e do hebraico, para o latim. Nesse trabalho, dedicou quase toda sua vida. O conjunto final de sua tradução da Bíblia em latim chamou-se "Vulgata" e tornou-se oficial no Concílo de Trento.
Romano de formação, Jerônimo era um enciclopédico. Sua obra literária revelou o filósofo, o retórico, o gramático, o dialético, capaz de escrever e pensar em latim, em grego, em hebraico, escritor de estilo rico, puro e eloqüente ao mesmo tempo. Dono de personalidade e temperamento fortíssimo, sua passagem despertava polêmicas ou entusiasmos.
Devido a certas intrigas do meio romano, retirou-se para Belém, onde viveu como um monge, continuando seus estudos e trabalhos bíblicos. Para não ser esquecido, reaparecia, de vez em quando, com um novo livro. Suas violências verbais não perdoavam ninguém. Teve palavras duras para Ambrósio, Basílio e para com o próprio Agostinho. Mas sempre amenizava as intemperanças do seu caráter para que prevalecesse o direito espiritual.
Jerônimo era fantástico, consciente de suas próprias culpas e de seus limites, tinha total clareza de seus merecimentos. Ao escrever o livro "Homens ilustres", concluiu-o com um capítulo dedicado a ele mesmo. Morreu de velhice no ano 420, em 30 de setembro, em Belém. Foi declarado padroeiro dos estudos bíblicos e é celebrado no dia de sua morte.
Fonte- http://diocesedecolatina.org.br/

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Santo Padre anuncia o tema do 49º Dia Mundial das Comunicações

Em sintonia com a 14ª Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos, que ocorrerá em 2015, o tema escolhido para a 49º Dia Mundial das Comunicações Sociais será “Comunicar a família: ambiente privilegiado do encontro na gratuidade do amor”. O evento será celebrado no dia 17 de maio, domingo que antecede Pentecostes.
A reflexão retoma os ensinamentos de São João Paulo II na “Familiaris consortio”, que trata das mudanças culturais e a família. Em um trecho da encíclica, o santo escreveu que “as relações entre os membros da comunidade familiar são inspiradas e guiadas pela lei da ‘gratuidade’ que, respeitando e favorecendo em todos e em cada um a dignidade pessoal como único título de valor, se torna acolhimento cordial, encontro e diálogo, disponibilidade desinteressada, serviço generoso, solidariedade profunda”.

Celebração

A mensagem para o Dia Mundial das Comunicações Sociais será publicada na festa de São Francisco de Sales, padroeiro dos jornalistas, em 24 de janeiro de 2015. A celebração é o único Dia Mundial  estabelecido pelo Concílio Vaticano II, por meio do Decreto Inter Mirifica – 1963. Dioceses de todo o mundo organizam atividades para comemorar este dia, com missas, encontros de formação, coletivas de imprensa, debates etc.
No comunicado divulgado pelo Vaticano sobre o tema escolhido, é destacado que “a Igreja hoje deve novamente aprender a dizer o quanto a família é um grande dom, bom e belo. É chamada a encontrar o modo para expressar que a gratuidade do amor, que se oferece aos esposos, aproxima todos os homens a Deus e esta é uma tarefa magnífica. Porque direciona o olhar para a verdadeira realidade do homem e abre as portas para o futuro, a vida”. 
Fonte- http://www.cnbb.org.br/

29 de setembro- Solenidade dos Santos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael


O novo calendário reúne em única celebração os três arcanjos que eram comemorados em dia diferentes.Este dia, seria a festa do arcanjo São Miguel, o antigo padroeiro da sinagoga e agora padroeiro universal da Igreja. São Gabriel é o anjo da Anunciação, enquanto São Rafael é invocado como guia dos que viajam. 
A existência dos seres incorpóreos, que as Sagradas Escrituras chamam habitualmente de anjos, é uma verdade de fé.
Mas quem são os anjos? Eis a resposta de Santo Agostinho:"Angelus officii nomen est, non naturae...Anjo é denominação de encargo, não de natureza.Se perguntares pela denominação de natueza, é um espírito; se perguntares pelo encargo,é um anjo: é espírito por aquilo que é, e é anjo por aquilo que faz.
Os anjos são, pois, servidores e mensageiros de Deus.Pelo fato que "vêem sempre a face do Pai que está no céu", como se lê no Evangelho de Mateus, eles são executores poderosos de suas palavra, obedientes ao somda sua palavra"( Salmo 103,20).
São Miguel,como expressão da onipotência de Deus,recebeu desde o começo da história do cristianismo, um culto particular. Constantino e Justiniano erigiram-lhe dois santuários nas duas extremidades de Bósforo.
Em Roma o arcanjo domina a cidade do alto da Mole Adriana, a qual tomou o nome de Castelo Santo Anjo.
São Gabriel,"aquele que está diante de Deus",é o anunciador por excelência das divinas revelações: anuncia ao profeta Daniel o retorno do exílio do povo eleito; leva a Zacarias a notícia da iminente concepção do precursor do Messias.Depois, é-lhe confiada a missão mais alta que possa ser dada a uma criatura: o anúncio a Maria da Encarnação do Filho de Deus.
Fonte- http://diocesedecolatina.org.br/

domingo, 28 de setembro de 2014

Nota de falecimento- Mãe do Padre Fábio Reis

pe_Fabio_RomuloCom pesar noticiamos o falecimento da mãe do Reverendíssimo Senhor Padre Fábio Rômulo Reis, pároco de São José Operário(São João del Rei).
O corpo está sendo velado no Velório Municipal de Resende Costa. As 8horas na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Penha de França será celebrada a Santa Missa de corpo presente em seguida acontecerá o sepultamento no cemitério local.
Desde já desejamos que o Senhor Bom Jesus do Monte possa confortar toda a família do sacerdote.


Fonte- Facebook da catequese paroquial de São José Operário do Tijuco

26º Domingo do Tempo Comum

Evangelho Mt 21, 28-32.
“Em verdade vos digo que os cobradores de impostos e as prostitutas vos precedem no reino de Deus” .
(Mt 21, 31)
Nas passagens da primeira leitura e do evangelho deste domingo a Igreja quer nos ensinar que é sempre necessária a conversão, a sinceridade no seguimento a Jesus Cristo. O povo judeu e, de modo especial os Fariseus e os Anciãos, que tinham possibilidade para ver em Jesus o Messias prometido, não se abriram à graça de acolher a salvação proposta e encarnada na pessoa de Jesus. Mas, outros se abriram a esta proposta. E justamente, aos olhos dos Fariseus e Anciãos, seriam aqueles que eram discriminados por serem pecadores e Publicanos.
A fidelidade a Deus exige que façamos o que Deus quer de nós. O seguimento a Jesus Cristo exige coerência de vida e a coragem de eliminar as discriminações e os preconceitos. Na vida cristã é necessário ter coragem de se arriscar em busca de novos valores e será pela prática que se julga nossa verdadeira pertença a Jesus Cristo e aos valores do Reino de Deus. Revelamos o que somos pelas nossas obras. Deus não decidiu num dado momento da história, rejeitar Israel e adotar as nações pagãs. Foi o comportamento perante o Messias que fez o povo de Israel perder a grande oportunidade de reconhecê-Lo e se colocar à disposição para anunciar sua proposta de salvação.
Em nossa conduta cristã, na experiência eclesial que vivemos em nossas comunidades, devemos estar atentos a fazer a integração entre a fé e a vida. Isto é, o “sim” de nossa fé deve-se tornar o “sim” de nossa vida. A palavra e a confissão de nossos lábios devem tornar-se ação e gesto das mãos. Assim não seremos cristãos pelo muito falar, pelas muitas devoções, pelas muitas exterioridades, mas por tudo aquilo que realizarmos como conseqüência do seguimento a Jesus Cristo. É Ele que ocupa o centro de nossa vida, tornando-se o fundamento de nossa fé para onde direcionamos nossas ações.

D. Célio de Oliveira Goulart – Bispo Diocesano.   

sábado, 27 de setembro de 2014

27 de Setembro - Dia de São Vicente de Paulo


Vicente de Paulo foi, realmente, uma figura extraordinária para a humanidade. Pertencia a uma família pobre, de cristãos dignos e fervorosos. Nasceu em Pouy, França, no dia 24 de abril de 1581.
Na infância, foi um simples guardador de porcos, o que não o impediu de ter uma brilhante ascensão na alta Corte da sociedade de sua época. Aos dezenove anos, foi ordenado padre e, antes de ser capelão da rainha Margarida de Valois, ficou preso durante dois anos nas mãos dos muçulmanos. O mais curioso é que acabou sendo libertado pelo seu próprio "dono", que, ao longo desse período, Vicente conseguiu converter ao cristianismo.
Todos o admiravam e respeitavam: do cardeal Richelieu à rainha Ana da Áustria, além do próprio rei Luís XIII, que fez questão absoluta de que Vicente de Paulo estivesse presente no seu leito de morte.
Mas quem mais era merecedor da piedade e atenção de Vicente de Paulo eram mesmo os pobres, os menos favorecidos, que sofriam as agruras da miséria. Quando Mazarino, em represália às barricadas erguidas pela França, quis fazer o país entregar-se pela fome, Vicente de Paulo organizou, em São Lázaro, uma mesa popular para servir, diariamente, refeições a duas mil pessoas famintas.
Apesar de ter sempre pouco tempo para os livros, tinha-o muito quando era para tratar e dar alívio espiritual. Quando convenceu o regente francês de que o povo sofria por falta de solidariedade e de pessoas caridosas para estenderem-lhe as mãos, o rei, imediatamente, nomeou-o para ser o ministro da Caridade. Com isso, organizou um trabalho de assistência aos pobres em escala nacional. Fundou e organizou quatro instituições voltadas para a caridade: a "Confraria das Damas da Caridade", os "Servos dos Pobres", a "Congregação dos Padres da Missão", conhecidos como padres lazaristas, em 1625, e, principalmente, as "Filhas da Caridade", em 1633.
Este homem prático, firme, dotado de senso de humor, esperto como um camponês, e sobretudo realista, que dizia aos sacerdotes de São Lazaro: "Amemos Deus, irmãos meus, mas o amemos às nossas custas, com a fadiga dos nossos braços, com o suor do nosso rosto", morreu em Paris no dia 27 de setembro de 1660.
Canonizado em 1737, são Vicente de Paulo é festejado no dia de sua morte, pelos seus filhos e sua filhas espalhados nos quatro cantos do mundo. E por toda a sociedade leiga cristã engajada em cuidar para que seu carisma permaneça, pela ação de suas fundações, que florescem, ainda, nos nossos dias, sempre a serviço dos mais necessitados, doentes e marginalizados.
Fonte- http://diocesedecolatina.org.br/