segunda-feira, 27 de março de 2017

Presidente da CRB visita Haiti e articula liberação de recursos para emergências

Os missionários brasileiros no Haiti experimentaram uma visita de apoio e carinho em meio ao sofrimento que vivem junto ao povo atingido pela miséria e por desastres naturais. A presidente da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB), irmã Maria Inês Ribeiro, acompanhada da também religiosa irmã Ada Morelli, foi à região sudoeste do país no final de fevereiro. Ela conta o que presenciou e o esforço daqueles que buscam ajudar nas emergências e na recuperação da população local. O Haiti foi atingido no ano passado pelo furacão Matthew, que devastou novamente o país afetado em 2010 por um terremoto. A Igreja no Brasil mantém, por meio de uma parceria entre a CRB e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), um projeto Missionário Intercongregacional de Solidariedade, atendendo os haitianos há sete anos.  
“Os nossos missionários brasileiros pensaram em fazer uma visita aos religiosos que estão na área atingida pelo furacão, o primeiro intuito foi esse: uma visita de apoio, carinho, que, com certeza eles experimentaram, porque o sofrimento foi muito grande junto ao povo”, conta irmã Maria Inês. Ela recorda, quando fala do sofrimento, de um frei capuchinho que quase morreu em consequência do furacão Matthew. O frade saiu da casa paroquial, possivelmente para buscar algum alimento no deposito para atender as pessoas que estavam na casa, “que foi menos atingida, apesar de descoberta”, ressalta. “Mas ele saiu para o galpão e o vento era fortíssimo e ele se agarrou [em algo] e quase foi levado, está vivo por milagre”, relata. De acordo com a presidente da CRB, missionários quiseram partilhar, fazer presença, mas quando viram a situação do povo, pensaram em unir forças para atender a população mais marginalizada em regiões em que os carros oficiais não chegavam. “Os missionários brasileiros da capital Porto Príncipe foram com os carros até onde deu e seguiram com mantimentos, lonas para cobrir as casas, medicamentos, principalmente para curativos, ao encontro da população mais carente, mais sofrida após o furacão”, lembra. A Cáritas Internationalis mobilizou mais de 30 organizações da sua confederação ao redor do mundo para contribuir com a reconstrução do Haiti. O orçamento estimado para esta ajuda é de mais de 3 milhões de euros. Atualmente, as organizações Cáritas já arrecadaram um valor total de 2.139.932 de euros, dos quais 1.325.220 já foram transferidos ao país, segundo a entidade. No Brasil, também foram arrecadados recursos em uma campanha SOS, atualmente no total de 600 mil reais. A Campanha SOS Haiti continua, saiba como participar. Nesta situação, os missionários solicitaram liberação dos recursos para atender às urgências mais gritantes. Irmã Maria Inês conta que com os valores que chegaram inicialmente foi possível o atendimento de pessoas ainda machucadas, passando fome extrema, além de ações em casas descobertas e com pessoas que estavam dormindo debaixo das árvores. Logo após, foi feito, no âmbito das Cáritas diocesanas do Haiti, um plano de ação com participação da Cáritas da Espanha, para reconstrução, auxílio na parte de agricultura e reconstrução de casas. As ajudas têm o foco nos esforços de recuperação mais sustentáveis. Com o auxílio da Cáritas Brasileira e demais organizações, a Caritas Haiti pretende contribuir para a recuperação de 6.550 famílias (31.250 pessoas), as mais afetadas pelo furacão Matthew. As principais atividades são revitalização de atividades agrícolas, prevenção de doenças infecciosas, reparação e reconstrução de casas e proteção do ambiente natural. A ideia é que nos próximos 6 meses, a união entre governo local, Cáritas Haiti e as Cáritas ao redor do mundo centre esforços na construção de 200 clínicas móveis, em reparos de abrigos e na compra e distribuição de 1.560 caprinos.
Fonte- CNBB

Instituto Auxiliadora acolhe religiosos para primeiro encontro anual

Na solenidade da Anunciação do Senhor, no último sábado, 25, os membros do núcleo da Conferência dos Religiosos do Brasil – CRB, reuniu-se no Instituto Auxiliadora, para o primeiro encontro anual. Fizeram-se presentes os religiosos provenientes da Paróquia São Francisco de Assis, Seminário Dehonista, Comunidade Franciscana – Postulantado Cruz de Damião, Mercedárias da Caridade, Filhas de São Camilo, Filhas de Maria Auxiliadora –Salesianas, Carmelitas da Divina Providência, Irmãs Auxiliadora de Nossa Senhora da Piedade – Colégio Nossa Senhora de Lourdes/Lar Augusto Silva. Após a apresentação das congregações, os presentes realizaram uma oração, na qual recordaram que a solenidade da Anunciação do Senhor convida a todos a celebrarem a fidelidade de Deus que, na concepção da Virgem Maria, leva a crer ainda mais que é possível confiar n’Ele. Em continuidade, foi feita a leitura da ata anterior e uma reflexão em pequenos grupos, a partir do texto: A missão de guardiões da Criação, de autoria do Pe. Josafá de Siqueira, jesuíta. Na partilha dos grupos, o sentimento comum foi de responsabilidade de guardar a criação, conscientes que a conversão e a conscientização devem começar a partir de nós e estender-se em nossa ação pastoral. Nesta perspectiva, no encontro do segundo semestre será partilhado os gestos concretos que foram vivenciados nas comunidades. O encerramento aconteceu com uma celebração eucarística e um almoço fraterno entre os participantes.
Fonte- http://diocesedesaojoaodelrei.com.br/

Dia 27 de março - Memória a São Ruperto

Resultado de imagem para São Ruperto ]O santo de hoje foi um grande apóstolo da Baviera, Alemanha. A pedido do rei, foi convidado a evangelizar a França, e fez este belo trabalho. Após ser eleito bispo, a corte da Baviera o chamou, convidando-o também a evangelizar aquelas terras. Juntamente com o apoio do rei pôde ter o apoio de muitos religiosos, inclusive de sua irmã, que também era consagrada. São Ruperto evangelizou a muitos, fazendo a Boa Nova chegar às altas autoridades, ao ponto do sucessor do rei já ser evangelizado. Antes de sua última Santa Missa, sua irmã ouviu sua oração de entrega: “Pai, em Tuas mãos eu entrego o meu espírito”. Em toda sua vida, e também na morte, viveu entregue a Deus.
Fonte- http://santo.cancaonova.com/

sábado, 25 de março de 2017

Jejuar ato de amor para com Deus e a Criação | Por Dom Roberto Francisco Ferreria Paz

Bispo  de Campos (RJ)

Resultado de imagem para Dom Roberto Francisco Ferreria PazNa quaresma, um dos exercícios que nos convida a uma conversão e penitência autêntica é a prática do jejum que merece ser sempre descoberta. No jejum imitamos a Cristo que no Monte das Tentações se submeteu em obediência filial a este meio espiritual que visa aprimorar nossa entrega ao Pai mediante a escuta fiel a sua Palavra. Jejuar é colocar-se por inteiro à disposicão de Deus para amar e assumir o seu projeto de vida e missão. No jejum ativamos todas as nossas faculdades espirituais para concentrar nossa percepção na presença de Deus afinando nossa sintonia cordial para amar a sua vontade. O jejum também nos leva a um discernimento mais apurado e a uma liberdade mais plena sobre o uso dos bens materiais e as escolhas de acordo com a nossa realidade de simples administradores e não possuidores arrogantes. No jejum retomamos a nossa liberdade cristã no Espírito para sermos servidores e não escravos do poder dominação que corrompe e oprime as pessoas. A privação e abstinência de alimento nos conduz a uma limpeza e purificação de nossas práticas alimentares que muitas vezes atrapalham e destroem nossa saúde e nos levando ao mesmo tempo a experimentar o sofrimento dos pequenos e dos pobres, muitas vezes despojados do pão necessário para suas famílias. É verdade que podemos realizar com muito proveito outras formas de jejum: das palavras (silêncio amadurecido), das imagens (desligar um pouco a tv e a internet), dos passos (não ir aos shoppings e, pelo contrário, visitar presos e doentes), das emoções negativas (ira, ressentimento, raiva, angústia, ansiedade); sem dúvida estes gestos penitenciais conseguiriam um maior impacto na nossa vida interior e uma incidência maior na comunidade e convívio social. Mas, neste ano, conforme a campanha da fraternidade, o jejum pode ter como foco a simplicidade, a sobriedade e a cultura do permanente, nos libertando do consumismo egoísta e predatório para uma convivência mais alegre e serena com a nossa irmã Terra, abraçando com amor e reverência compassiva a todas as criaturas. Deus seja louvado!

Dia 25 de março - Solenidade da Anunciação do Senhor Jesus

Resultado de imagem para Anunciação do SenhorNeste dia, a Igreja festeja solenemente o anúncio da Encarnação do Filho de Deus. O tema central desta grande festa é o Verbo Divino que assume nossa natureza humana, sujeitando-se ao tempo e espaço. Hoje é o dia em que a eternidade entra no tempo ou, como afirmou o Papa São Leão Magno: “A humildade foi assumida pela majestade; a fraqueza, pela força; a mortalidade, pela eternidade.” Com alegria contemplamos o mistério do Deus Todo-Poderoso, que na origem do mundo cria todas as coisas com sua Palavra, porém, desta vez escolhe depender da Palavra de um frágil ser humano, a Virgem Maria, para poder realizar a Encarnação do Filho Redentor: “No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem e disse-lhe: ‘Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo.’ Não temas , Maria, conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus. Maria perguntou ao anjo: ‘Como se fará isso, pois não conheço homem?’ Respondeu-lhe o anjo:’ O Espírito Santo descerá sobre ti. Então disse Maria: ‘Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tu palavra’” (cf. Lc 1,26-38).
Sendo assim, hoje é o dia de proclamarmos: “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós” (Jo 1,14a). E fazermos memória do início oficial da Redenção de TODOS, devido à plenitude dos tempos. É o momento histórico, em que o SIM do Filho ao Pai precedeu o da Mãe: “Então eu disse: Eis que venho (porque é de mim que está escrito no rolo do livro), venho, ó Deus, para fazer a tua vontade” (Hb 10,7). Mas não suprimiu o necessário SIM humano da Virgem Santíssima. Cumprindo desta maneira a profecia de Isaías: “Por isso, o próprio Senhor vos dará um sinal: uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e o chamará Deus Conosco” (Is 7,14). Por isso rezemos com toda a Igreja: “Ó Deus, quisestes que vosso Verbo se fizesse homem no seio da Virgem Maria; dai-nos participar da divindade do nosso Redentor, que proclamamos verdadeiro Deus e verdadeiro homem. Por nosso Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo”.
Fonte- http://santo.cancaonova.com/

quinta-feira, 23 de março de 2017

Bispo retorna para São João del-Rei, onde continuará os procedimentos quimioterápicos

Na manhã desta quinta-feira, 23, o vigário geral da diocese, padre Dirceu Medeiros, emitiu uma nota divulgando novidades em relação ao tratamento do bispo diocesano, Dom Célio de Oliveira Goulart. Segundo o sacerdote, Dom Célio retornou à São João del-Rei, onde continuará os procedimentos quimioterápicos. Confira:

SAÚDE DE DOM CÉLIO

“A cruz é a força de Deus.” (1 Cor 1, 18)

Comunicamos a todos que nosso bispo diocesano, Dom Célio de Oliveira Goulart, encontra-se em São João del-Rei, em sua residência episcopal, desde o dia 18 de março. Louvamos a Deus, pois a presença de nosso pastor nos traz alegria e segurança. Os médicos, unanimemente, acharam por bem que ele regressasse a São João del-Rei e que aqui mesmo fizesse seu tratamento quimioterápico, evitando assim o desconforto das viagens. Lembramos ainda que, por orientação médica, as visitas continuam restritas para preservar o paciente e favorecer sua recuperação. Agradecemos a solidariedade dos padres e leigos(as) que tem rezado pela recuperação de nosso bispo. Contamos com as orações de todos. Acompanhado pela Graça de Deus e a proteção da Virgem do Pilar, em breve, ele retomará suas atividades à frente de nossa Igreja Particular.

Pe. Dirceu de Oliveira Medeiros
Vigário Geral

Protomártires do Brasil serão canonizados

O Vaticano informou na manhã desta quinta-feira, 23, que o papa Francisco recebeu o prefeito da Congregação para a Causa dos Santos, cardeal Angelo Amato, e aprovou os votos favoráveis da Sessão Ordinária dos membros da Congregação a respeito da canonização dos beatos André de Soveral e Ambrósio Francisco Ferro, sacerdotes diocesanos, e Mateus Moreira, leigo, e de seus 27 companheiros mártires, assassinados por ódio à fé, em dia 16 de julho de 1645 e 3 de outubro de 1645, no Rio Grande do Norte, conhecidos como protomártires do Brasil. O nome de protomártires foi dado na ocasião da visita do papa João Paulo II, em 13 de outubro de 1991, na missa de encerramento do XII Congresso Eucarístico, ocorrido em Natal (RN). Os locais de martírio, Cunhaú e Uruaçu, estão na circunscrição eclesiástica da arquidiocese potiguar. Durante o encontro na manhã de hoje, o pontífice autorizou também a Congregação a promulgar o Decreto a respeito do milagre atribuído à intercessão do beato Francisco Marto e da beata Jacinta Marto, dois dos Pastorinhos de Fátima.

Martírio de Cunhaú

No dia 16 de julho de 1645, os holandeses que ocupavam o Nordeste do Brasil, chegaram a Cunhaú, onde residiam vários colonos ao redor do engenho, ocupados no plantio da cana-de-açúcar. Era um domingo. Na hora da missa, 69 pessoas se reuniram na capela de Nossa Senhora das Candeias. A capela foi cercada e invadida por soldados calvinistas e índios que trucidaram a todos que aí estavam, inclusive o pároco, padre André de Soveral que celebrava a missa. Não opuseram resistência aos agressores e entregaram piedosamente suas almas a Deus.

Martírio de Uruaçu

Após o acontecimento de Cunhaú, muitos moradores de Natal pediram asilo no Forte dos Reis Magos ou se refugiaram em abrigos improvisados. No dia 3 de outubro, foram levados para as margens do Rio Uruaçu, onde os aguardavam índios e soldados holandeses armados. Eram cerca de 80 pessoas. Os holandeses, de religião calvinista, trouxeram um pastor protestante para demovê-los de sua fé católica. Todos resistiram a esta tentativa e foram barbaramente sacrificados. Entre eles estava Mateus Moreira que, ao lhe ser arrancado o coração pelas costas, morreu exclamando "Louvado seja o Santíssimo Sacramento". Entre os mártires, há dois sacerdotes. Vinte e sete são brasileiros natos, um português, um espanhol e um francês. Padre André de Soveral, padre Ambrósio Francisco Ferro, Mateus Moreira e outros vinte e sete companheiros foram beatificados por são João Paulo II, em 5 de março de 2000.
Fonte- http://www.cnbb.org.br

Dia 23 de março - Memória a São Turíbio de Mongrovejo

Resultado de imagem para São Turíbio de MongrovejoDe origem espanhola, nasceu no ano de 1538. Cresceu muito bem educado dentro de uma formação cristã e humana, estudou Direito e prestou muitos serviços nessa área, sempre buscando dar testemunho cristão no ambiente em que se encontrava. Turíbio ajudou até o rei Felipe, mas o chamado à vida dedicada ao Senhor, dentro do ministério sacerdotal, falou mais forte. Renunciou à sua profissão e, como sacerdote, foi escolhido bispo e enviado ao Peru. Era um homem apostólico. Deparou-se com muitas injustiças: indígenas oprimidos, pobres abandonados. Então ele, no anúncio e na denúncia, passou a ser respeitado e ouvido por muitos. Sem interesses e sem comungar com o poder opressor, ele deixou um marco para toda a América: de que o mundo precisa de santos, e isso só é possível na misericórdia, no amor, na verdade, no anúncio e na coragem de denunciar. Depois de uma grave enfermidade, faleceu em 1606.
Fonte- http://santo.cancaonova.com/

quarta-feira, 22 de março de 2017

Bispos refletem sobre a Reforma da Previdência

Conselho Permanente ouviu o prof. Guilherme Delgado, Doutor em Economia e ex-integrante do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). A Reforma da Previdência foi tema do painel de reflexão apresentado pelo professor Guilherme Delgado, Doutor em Economia, ex-integrante do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), na primeira sessão da tarde desta terça-feira, 21, da reunião do Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Na introdução da sua palestra, ele lembrou que o tema tem sido colocado num debate ideológico, o que compromete a verdade dos fatos. Durante a exposição feita aos bispos, Guilherme recordou que: “a Previdência Pública, no sistema constitucional, traz dois corpos distintos: um se refere aos servidores públicos e o outro em relação ao restante dos trabalhadores. Ambos os casos são administrados pelo Estado no Brasil. Nos anos de 2000 a 2013, a Previdência Pública recebeu um ´boom´ de afiliação que chegou a mais de 60% da população economicamente ativa e esse fato exigiria uma reforma da Previdência para garantir a preservação de direitos”.  “Uma PEC do governo Fernando Henrique Cardoso, em 1998, pedia a constituição de um Fundo que pudesse assegurar que as contribuições das empresas, dos trabalhadores e os tributos – de acordo com a gestão - pudessem garantir o equilíbrio do sistema”, e esse Fundo não foi constituído, alertou professor Guilherme.  O conceito de Previdência Social, por outro lado, preconizado pela Organização Internacional do Trabalho, é um sistema de proteção social e não um sistema de acumulação financeira. Por causa disso, é preciso considerar a existência dos três pilares: contribuição dos trabalhadores, contribuição das empresas e a parte do Estado. “É preciso questionar a Reforma da Previdência” no quesito da fundamentação ética sobre a proteção social, a inclusão social, o que sugere a ideia original da Previdência Social, afirmou o professor. Os bispos do Conselho Permanente apresentaram suas preocupações e comentários sobre o tema levantando aspectos diferentes e manifestando a ênfase na responsabilidade e gravidade no debate sobre o tema.
Fonte: CNBB

Dia 22 de março - Memória a São Zacarias

Resultado de imagem para São Zacarias PapaFilho de pai grego, residente na Calábria, foi eleito Papa em 741 e morreu em 752. Ao contrário do seu predecessor Gregório III, relativamente a Liutprando, rei dos Lombardos, julgou ser melhor partido inaugurar com ele relações amistosas. Concluiu assim um acordo bastante vantajoso, recuperando quatro fortalezas e vários patrimônios; estipulou também com ele uma trégua de trinta anos. Mas não conseguiu impedir os Lombardos de tirarem aos Bizantinos o exarcado de Ravena. Zacarias soube tornar favorável à Igreja romana o imperador Constantino V e recebeu mesmo territórios como dádiva. Em 747 aprovou a mudança de regime na França, com a proclamação de Pepino, o Breve. Foi um bom administrador das terras da Igreja, as quais progrediram no seu tempo. Restaurou o palácio de Latrão e embelezou, no sopé do Palatino, a igreja de Santa Maria Antiga, onde se conserva ainda o seu retrato, pintado quando ele ainda vivia.
Fonte- http://santo.cancaonova.com/