sábado, 6 de fevereiro de 2016

Dia 6 de fevereiro - São Gonçalo Garcia e Companheiros Mártires

Estes cristãos fervorosos deram testemunho com a vida e também com a morte. Gonçalo Garcia nasceu em Bazain (Índia Oriental) de pai português e mãe indiana. Fez seus estudos no Colégio dos jesuítas de sua cidade e aos vinte e cinco anos mudou-se para o Japão, na intenção de dedicar-se ao comércio. Chegando ali, mudou de ideia, tornando-se catequista, para ajudar os padres jesuítas, serviço esse que prestou durante dez anos, no qual houve muitas conversões. Em seguida viajou para as Filipinas e ali motivado pela vida pobre e penitente dos franciscanos, pediu para ser aceito na Ordem dos Frades Menores como irmão religioso. Neste mesmo lugar foi designado para ser o companheiro e intérprete do Comissário São Pedro Batista, quando este viajou para o Japão. Os cristãos que haviam conhecido Gonçalo antes de ingressar na Ordem, o acolheram com muita alegria o que facilitou seu trabalho nas diversas obras missionárias. Um decreto de prisão contra os franciscanos, expedido pelo Imperador Taicosama na noite de 8 de dezembro de 1596, abriu também para Gonçalo o caminho do martírio. Detido com seus co-irmãos e levado a Meaco, cortaram-lhe a orelha esquerda, e em seguida, colocado em um carro junto com seus companheiros percorreu toda a cidade e várias regiões até chegar a Nagasaki. Ali, na colina dos mártires, foi crucificado, tendo suas costas transpassadas por duas lanças cruzadas, que atingiram seu coração. Tinha então, 40 anos de idade. Sementes para novos cristãos, desde a passagem de São Francisco Xavier já se contavam 300 mil cristãos no Japão. Depois, muito mais com testemunho desses 26 companheiros de Jesus. Peçamos a intercessão deste santo para que o nosso relacionamento profundo com Deus se traduza em evangelização para a humanidade.
Fonte- http://santo.cancaonova.com/ e http://www.franciscanos.org.br/

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Papa Francisco diz que irá ao México como peregrino

A visita será no período de 12 a 18 de fevereiro. “Eu não vou ao México como um Rei Mago, carregado de coisas para levar. Vou sim como um peregrino procurando que o povo mexicano me dê alguma coisa”. Vou buscar a fé que vocês têm, vou para deixar-me contagiar pela riqueza desta fé”, disse o papa Francisco sobre viagem apostólica ao México. A peregrinação será no período de 12 a 18 de fevereiro. Entre os objetivos da viagem estão o compromisso com o diálogo e a paz, a busca pela renovação espiritual, luta contra a corrupção e violência. Na ocasião, o papa percorrerá a Cidade do México, San Cristóbal e Ciudad Juárez. Francisco rezará missa no Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe, também visitado por São João Paulo II. “Muitas vezes quando tenho medo por algum problema, repito a mim mesmo as palavras da Virgem a Juan Diego: ‘Não tenhas medo, não estou aqui, eu que sou a tua mãe?’ Me coloco diante de sua imagem e fico ali olhando para ela. Sinto que é Mãe, que cuida, que protege, que leva em frente um povo, uma família”, contou o papa sobre devoção a Guadalupe.
Fonte- http://cnbb.org.br/

Santuário de Aparecida (SP) sediará 10º Congresso Mariológico

Cerca de 700 pessoas participarão do evento. Com o tema “Maria na Liturgia e na Piedade Popular”, o Santuário Nacional de Aparecida (SP) receberá o 10º Congresso Mariológico. A atividade ocorrerá de 2 a 5 de junho, no Centro de Eventos padre Vitor Coelho de Almeida. Trata-se de uma iniciativa da Academia Marial, em parceria com Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Faculdade Dehoniana de Taubaté. São esperados 700 participantes, entre eles, pesquisadores e estudiosos de temas ligados à Nossa Senhora e à mística mariológica.  O Congresso contará com palestras, momentos de reflexões e atividades culturais. Neste ano a programação traz novidade, como os pequenos seminários temáticos, que proporcionarão aos participantes o aprofundamento em assuntos específicos. A programação do 10º Congresso contará, ainda, com Noite Cultural e lançamentos de livros de temática mariana e litúrgica, além de inauguração de exposição. “Estamos preparando quatorze seminários que acontecerão em espaços diferentes. A ideia é permitir a reflexão, envolvimento e discussão de temas que envolvam Nossa Senhora e como ela figura nos ritos celebrativos e nos textos da Igreja”, explica o missionário Redentorista e o diretor da Academia Marial, padre Valdivino Guimarães. As inscrições serão abertas, em breve, com a equipe do Santuário Nacional. 

Memória 

Em 2015, a Academia Marial recebeu número recorde de participantes no Congresso Mariológico. Segundo padre Valdivino, isso representa a necessidade atual de aprofundamento no tema mariologia. “Vivemos em tempos de fragmentação das informações. Muitas vezes conteúdos que exigem aprofundamento para correta compreensão da mística mariológica tornam-se necessários não só para formadores de opinião, mas a todos que sentem desejo e curiosidade em saber mais a respeito deste tema”, explica o diretor. A Academia Marial do Santuário Nacional está localizada no 11º andar da Torre Brasília, no Santuário. Outras informações: (12) 3104.1549 ou academia@santuarionacional.com.
Fonte- http://cnbb.org.br/

Dia 5 de fevereiro - Memória de Santa Águeda

Mesmo diante das dores e humilhações foi firme em escolher Jesus como seu único Esposo. Virgem e mártir, Santa Águeda nasceu no século III numa família muito conhecida, em Catânia, na Sicília. Muito cedo, ela discerniu um chamado a Deus consagrando a sua virgindade ao Senhor, seu amado e esposo. A grande santa italiana foi uma jovem de muita coragem vivendo o Santo Evangelho na radicalidade num tempo em que o imperador Décio levantou contra o Cristianismo uma forte perseguição. Aqueles que não renunciassem ao senhorio de Cristo e não O desprezassem eram punidos com muitos sofrimentos até a morte. Santa Águeda era consagrada ao Senhor, amava a Deus, mas foi pedida em casamento por um outro jovem. Claro, por coerência e por vocação, ela disse ‘não’. Esse jovem, que dizia amá-la, a denunciou às autoridades. Ela foi presa e injustamente condenada. Que terríveis sofrimentos e humilhações! Ela sempre se expressava com muita transparência e dizia que pertencia a uma família nobre, rica, conhecida, mas tinha honra de servir a Nosso Senhor, o seu Deus. De fato, para os santos, a maior honra e a maior glória é servir ao Senhor. Entregaram-na a uma mulher tomada pelo pecado, uma velha prostituta para pervertê-la, mas esta não conseguiu, pois o reinado de Cristo se dava no coração de Águeda antes de tudo. Então, novamente, como num gesto de falsa misericórdia, perguntaram-lhe: “Então, o que você escolheu, Águeda, para a salvação?”. “A minha salvação é Cristo”, ela respondeu. Os santos passaram por muitas dificuldades, mas, em tudo, demonstraram para nós que é possível glorificar a Deus na alegria, na tristeza, na saúde, na dor. Em 254 foi martirizada e se encontra na eternidade, com seu esposo, Jesus Cristo, a interceder por nós.
Fonte- http://santo.cancaonova.com/

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

UTILIDADE PÚBLICA - FUNCIONAMENTO DA PREFEITURA NO CARNAVAL

A Prefeitura entrará em recesso no período de carnaval. Confira como será o funcionamento dos estabelecimentos públicos municipais.

Todo o setor da Prefeitura e suas secretarias estarão em recesso.

  • Na sexta-feira (05) o horário de expediente será de 7h às 12h.
  • Será ponto facultativo nas Repartições Públicas Municipais nos dias 08, 09 e 10 (segunda e terça-feira de Carnaval, e quarta-feira de cinzas) de fevereiro de 2016, exceto para os serviços essenciais.
  • A Secretaria de Obras estará presente fazendo a limpeza das ruas do centro histórico.
Mais informações clique em http://saojoaodelrei.mg.gov.br/

Pedindo a intercessão de São Brás, fiéis pedem proteção contra os males da garganta

Na última quarta feira, 3 de fevereiro, Memória de São Brás a Igreja de Nossa Senhora da Saúde esteve repleta de fiéis para a celebração do Santo Sacrifício da Missa. O celebrante foi o Reverendíssimo Padre Ilton, o pároco. Após a Santa Celebração foram impostas as velas sobre os ombros dos fiéis dando a benção contra os males da garganta.






Texto e fotos- Emanuel Souza

Dia 4 de fevereiro - Memória de São João de Brito

Foi até as últimas consequências defendendo a fé que professava e ensinava em suas pregações. Nasceu em Lisboa, Portugal, no ano de 1647. Seu pai, Salvador Pereira de Brito; sua mãe, D. Brites Pereira. No ano de 1640, seu pai foi enviado pelo rei Dom João IV para ser governador no Brasil, lugar onde faleceu. São João de Brito, com sua mãe e seus irmãos, ficaram na corte. Desde cedo, São João dava testemunho da busca de viver em Deus. Com sua saúde fragilizada, certa vez os médicos chegaram a perder as esperanças, mas sua mãe, voltando-se para o céu em oração e intercessão, fez também uma promessa a São Francisco Xavier e o pequeno João recobrou a saúde milagrosamente. São João passou um ano com uma batina, pois isso fazia parte do cumprimento da promessa; mais do que isso, Deus foi trabalhando a vocação em seu coração até que, com 15 anos apenas, ele entrou para a Companhia de Jesus. Em 1673, foi ordenado sacerdote e enviado para evangelizar na Índia. Viveu em Goa, depois no Sul da Índia, onde aprofundou-se nos estudos e todo aquele lugar, toda aquela região conheceu o ardor deste apóstolo. Homem que comunicava o Evangelho com a vida, ele buscava viver a inculturação para que muitos se rendessem ao amor de Deus num diálogo constante com as culturas, o que não quer dizer que sempre encontrou acolhimento. Junto aos povos de Maravá, ele evangelizou e muitos foram batizados; mas, ao retornar desta missão, ele e outros catequistas acabaram sendo presos por soldados pagãos e anticristãos e fizeram de tudo para que este sacerdote santo renunciasse a fé, mas ele renunciou a própria vida e estava aberto para o martírio se fosse preciso. O rei chegou a condená-lo, mas um príncipe quis ouvir a doutrina que ele espalhava e muitos mudavam de vida, abandonavam os deuses e a conclusão daquele príncipe pagão era de que aquela doutrina era justa e santa. São João foi libertado junto com os outros. Não demorou muito, por obediência, voltou para Portugal, mas o seu coração queria, de novo, retornar para a Índia e até mesmo ser mártir. Foi o que aconteceu. Passado um tempo, após dar seu testemunho em vários colégios dos jesuítas, ser sinal para Portugal do quanto o amor a Cristo e à Igreja não pode ter medidas. Retornando à Índia, novamente evangelizando em Maravá, foi preso. Desta vez, até um príncipe pagão chegou a se converter. Mas o rei se revoltou, mandou prender aquele padre. No ano de 1693, ele foi degolado. Sofreu muito antes disso, mas tudo ofereceu por amor a Cristo e pela salvação das almas. São João de Brito, modelo para todos nós de que o amor a Cristo, à Igreja e a salvação das almas não pode ter medidas.
Fonte- http://santo.cancaonova.com/

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Dia 3 de fevereiro - Memória de São Brás

Homem corajoso, de oração e pastor das almas, pois cuidava dos fiéis na sua totalidade. O santo de hoje nasceu na cidade de Sebaste, Armênia, no final do século III. São Brás, primeiramente, foi médico, mas entrou numa crise, não profissional, pois era bom médico e prestava um ótimo serviço à sociedade. Mas nenhuma profissão, por melhor que seja, consegue ocupar aquele lugar que é somente de Deus. Então, providencialmente, porque ele ia se abrindo e buscando a Deus, foi evangelizado. Não se sabe se já era batizado ou pediu a graça do Santo Batismo, mas a sua vida sofreu uma guinada. Esta mudança não foi somente no âmbito da religião, sua busca por Nosso Senhor Jesus Cristo estava ligada ao seu profissional e muitas pessoas começaram a ser evangelizadas através da busca de santidade daquele médico. Numa outra etapa de sua vida, ele discerniu que precisava se retirar. Para ele, o retiro era permanecer no Monte Argeu, na penitência, na oração, na intercessão para que muitos encontrassem a verdadeira felicidade como ele a encontrou em Cristo e na Igreja. Mas, na verdade, o Senhor o estava preparando, porque, ao falecer o bispo de Sebaste, o povo, conhecendo a fama do santo eremita, foi buscá-lo para ser pastor. Ele, que vivia naquela constante renúncia, aceitou ser ordenado padre e depois bispo; não por gosto dele, mas por obediência. Sucessor dos apóstolos e fiel à Igreja, era um homem corajoso, de oração e pastor das almas, pois cuidava dos fiéis na sua totalidade. Evangelizava com o seu testemunho. São Brás viveu num tempo em que a Igreja foi duramente perseguida pelo imperador do Oriente, Licínio, que era cunhado do imperador do Ocidente, Constantino. Por motivos políticos e por ódio, Licínio começou a perseguir os cristãos, porque sabia que Constantino era a favor do Cristianismo. O prefeito de Sebaste, dentro deste contexto e querendo agradar ao imperador, por saber da fama de santidade do bispo São Brás, enviou os soldados para o Monte Argeu, lugar que esse grande santo fez sua casa episcopal. Dali, ele governava a Igreja, embora não ficasse apenas naquele local. São Brás foi preso e sofreu muitas chantagens para que renunciasse à fé. Mas por amor a Cristo e à Igreja, preferiu renunciar à própria vida. Em 316, foi degolado. Conta a história que, ao se dirigir para o martírio, uma mãe apresentou-lhe uma criança de colo que estava morrendo engasgada por causa de uma espinha de peixe na garganta. Ele parou, olhou para o céu, orou e Nosso Senhor curou aquela criança. Peçamos a intercessão do santo de hoje para que a nossa mente, a nossa garganta, o nosso coração, nossa vocação e a nossa profissão possam comunicar esse Deus, que é amor.
Fonte- http://santo.cancaonova.com/