sexta-feira, 25 de julho de 2014

Dia 25 de julho- Dia de São Tiago Maior e São Cristóvão

São Tiago Maior


Tiago nasceu doze anos antes de Cristo, viveu mais anos do que ele e passou para a eternidade junto a seu Mestre. Tiago, o Maior, nasceu na Galiléia e era filho de Zebedeu e Salomé, segundo as Sagradas Escrituras. Era, portanto, irmão de João Evangelista, os "Filhos do Trovão", como os chamara Jesus. É sempre citado como um dos três primeiros apóstolos, além de figurar entre os prediletos de Jesus, juntamente com Pedro e André. É chamado de "maior" por causa do apóstolo homônimo, Tiago, filho de Alfeu, conhecido como "menor".
Nas várias passagens bíblicas, podemos perceber que Jesus possuía apóstolos escolhidos para testemunharem acontecimentos especiais na vida do Redentor. Um era Tiago, o Maior, que constatamos ao seu lado na cura da sogra de Pedro, na ressurreição da filha de Jairo, na transfiguração do Senhor e na sua agonia no horto das Oliveiras.
Consta que, depois da ressurreição de Cristo, Tiago rumou para a Espanha, percorrendo-a de norte a sul, fazendo sua evangelização, sendo por isso declarado seu padroeiro. Mais tarde, voltou a Jerusalém, onde converteu centenas de pessoas, até mesmo dois mágicos que causavam confusão entre o povo com suas artes diabólicas. Até que um dia lhe prepararam uma cilada, fazendo explodir um motim como se fosse ele o culpado. Assim, foi preso e acusado de causar sublevação entre o povo. A pena para esse crime era a morte.
O juiz foi o cruel rei Herodes Antipas, um terrível e incansável perseguidor dos cristãos. Ele lhe impôs logo a pena máxima, ordenando que fosse flagelado e depois decapitado. A sentença foi executada durante as festas pascais no ano 42. Assim, Tiago, o Maior, tornou-se o primeiro dos apóstolos a derramar seu sangue pela fé em Jesus Cristo.
No século VIII, quando a Palestina caiu em poder dos muçulmanos, um grupo de espanhóis trouxe o esquife onde repousavam os restos de são Tiago, o Maior, à cidade espanhola de Iria. Segundo uma antiga tradição da cidade, no século IX o bispo de lá teria visto uma grande estrela iluminando um campo, onde foi encontrado o túmulo contendo o esquife do apóstolo padroeiro. E a Espanha, que nesta ocasião lutava contra a invasão dos bárbaros muçulmanos, conseguiu vencê-los e expulsá-los com a sua ajuda invisível.
Mais tarde, naquele local, o rei Afonso II mandou construir uma igreja e um mosteiro, dedicados a são Tiago, o Maior, com isso a cidade de Iria passou a chamar-se Santiago de Compostela, ou seja, do campo da estrela. Desde aquele tempo até hoje, o santuário de Santiago de Compostela é um dos mais procurados pelos peregrinos do mundo inteiro, que fazem o trajeto a pé.
Essa rota, conhecida como "caminho de Santiago de Compostela", foi feita também pelo papa João Paulo II em 1989. Acompanhado por milhares de jovens do mundo inteiro, foi venerar as relíquias do apóstolo são Tiago, o Maior, depositadas na magnífica catedral das seis naves, concluída em 1122.


Fonte- http://diocesedecolatina.org.br/

São Cristóvão


Cristóvão, para os íntimos, foi filho de um rei pagão da região do Oriente Médio e tinha como objetivo de vida servir o homem mais poderoso do mundo.
Em sua busca, serviu a guerreiros e imperadores e percebeu que mesmo os mais fortes temiam alguém ou alguma coisa.
Um dia, enquanto descansava à beira de um rio, conheceu um velho eremita cristão que morava na região, para quem contou sua história.
Enquanto conversavam, chegou uma caravana para atravessar para o outro lado do rio, mas não havia ponte, e a travessia era perigosa, em razão da correnteza.
Reprobus foi convencido pelo eremita a auxiliar àquelas pessoas a cruzar o rio, mas que jangada que nada, levou-as todos sobre seus próprios ombros, cruzando a correnteza do rio com as forças de suas próprias pernas.
Eis que, ao levar uma criança de um lado para o outro do rio, no entanto, Reprobus se vê em uma situação absolutamente inesperada para um homem com sua força e estatura: à medida que vadeava o rio, o menino se tornava cada vez mais pesado – tão pesado como se o mundo inteiro tivesse sobre seus ombros, e ele não pudesse terminar de cruzar o rio.
Posso sentir, neste exato instante, o desespero de Reprobus: exaurido por um esforço desumano, não poderia considerar o abandono de sua caminhada uma opção, pois a criança tinha de chegar a salvo ao outro lado do rio, o que aconteceu. Quando chegou, a criança se revelou o Cristo, e Reprobus se tornou “Cristóvão”.
Para variar, como alguns dos meus santos preferidos, Cristóvão não é totalmente reconhecido pela Igreja Católica, mas quem vai negar sua simbologia (tão forte como a de São Jorge)? De minha infância, por exemplo, a festa do 25 junho, quando meus pais levavam todos os carros e caminhões para benzer e colocar uma medalha de São Cristóvão, é uma constante.
Fonte-http://1diadecadax.wordpress.com/

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Com homenagens, fiéis se despedem de Padre Raimundo



DSC02298
A Catedral Basílica de Nossa Senhora do Pilar amanheceu repleta na manhã da última quarta-feira, 23. Familiares, sacerdotes, amigos, fiéis, paroquianos, todos reunidos para despedir do alegre padre Raimundo Inácio da Silva.
Natural da cidade de São João del-Rei, padre Raimundo atuava pastoralmente na comunidade rural de Jacarandira,  em Resende Costa e realizava um grande trabalho com a pastoral Afro-brasileira. Alguns meses atrás o sacerdote foi diagnosticado com um Câncer, acompanhando-o, após uma grande luta, até seus últimos dias de vida.
DSC02236Segundo o Bispo Diocesano de São João del-Rei, Dom Célio de Oliveira Goulart, o sacerdote é um grande exemplo: “Nós sentimos muito nesse momento, mas agradecemos a Deus o ministério do padre Raimundo. Um padre negro que assumiu as suas raízes e fez muito bem por onde passou, ajudando nas festas do Rosário e os grupos de congado”. O bispo também abordou o convívio no último período de vida do padre: “Nós acompanhamos um pouco mais de perto no último mês e  sentimos que ele teve uma dignidade nos finais de sua vida. Um auxílio muito importante das irmãs, filhas de São Camilo, em Resende Costa, e isso  nos dá uma gratidão a Deus que não deixou sofrer tanto neste momento”. E acrescentou, “Perdemos um padre muito importante que era a alegria de nosso grupo. Que Deus agora permita que ele possa participar da alegria do céu”.
DSC02272Grande incentivador da valorização da cultura negra, padre Raimundo trabalhava à frente das celebrações e grupos de congado. Segundo Mário Tomé, integrante do grupo de Congado e Moçambique de Piedade do Rio Grande, grandes ensinamentos foram deixados pelo padre. “Por onde passou ele fez só o bem e vamos tentar fazer tudo aquilo que nos ensinou. Ele preservou muito a cultura, nos deu estrutura para valorizar a cultura afro e por isso temos que agradecer e homenageá-lo (sic)”.
DSC02263Valdeci Braga acompanhou de perto o tratamento do padre e viu as lutas diante da doença. “Lutamos enquanto foi possível. Todos nós temos uma missão. Foi um homem que pregou o amor e ensinou as pessoas a amar e, hoje, nós que acreditamos, sabemos que ele está caminhando para a vida eterna. A Asapac perdeu um ente de sua família”, finaliza o presidente da Associação de Amparo a Pacientes com Câncer (Asapac).
DSC02247Padre Odair José de Carvalho, representante do Clero diocesano falou sobre os sentimentos na ocasião: “Sentimento de tristeza de perdemos o padre Raimundo, conhecido com Raimundão, mas pela fé que professamos, também de alegria por ameninar o sofrimento devido à enfermidade. Nós ficamos felizes também por estar com Deus, sem dor, sem tristeza, somente a paz, a alegria de poder estar contemplado Deus, tal como ele é, face a face”. Sentimentos estes também destacados pela irmã do sacerdote, Maria Antônia da Silva Costa: “A gente fica chateada, era só nos dois. Vou sentir muita falta. Só Deus para amenizar esse sentimento. Éramos muito unidos (sic)”.
DSC02315
Às 9 horas ocorreu a Celebração de Exéquias na Catedral do Pilar, seguida do enterro no Cemitério de Nossa Senhora das Mercês. No trajeto, atitudes de afeto, carinho e amor, pelo sacerdote. Tambores, sanfona e outros instrumentos eram ouvidos por todos, acompanhando as tradicionais músicas da cultura afro-Brasileira. Sem dúvida alguma, uma demonstração, não de tristeza ou morte, mas de alegria, pela bela trajetória de vida do padre “Raimundão”.
DSC02245DSC02287
Texto e fotografias: Lucas Silveira

terça-feira, 22 de julho de 2014

Nota de Falecimento - Padre Raimundo Silva

Faleceu hoje por volta das 13 horas na cidade de Resende Costa, o Revmo. Padre Raimundo Inácio da Silva. Natural da cidade de São João del-Rei, Padre Raimundo atuava pastoralmente na comunidade rural de Jacarandira  em Resende Costa e realizava um grande trabalho com a pastoral Afro-brasileira.
Seu corpo será velado nesta tarde até as 19 horas na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Penha de França na cidade de Resende Costa, quando acontecerá uma celebração eucarística. Logo após, o corpo seguirá para a cidade de São João del-Rei onde será velado na Catedral Basílica de Nossa Senhora do Pilar.
Amanhã, 23, às 9hs, haverá a concelebração eucarística, em seguida, o sepultamento no cemitério de Nossa Senhora das Mercês.
Nossa Diocese agradece às irmãs Filhas de São Camilo do Hospital de Resende Costa pelo carinho e cuidado dispensado a este irmão presbítero em seu período de convalescência e apresenta aos familiares nossas condolências.

domingo, 20 de julho de 2014

Comunidade da Santíssima Trindade celebra o padroeiro

Neste domingo, dia 20 de julho, os moradores do Povoado da Trindade, celebraram o padroeiro, a Santíssima Trindade. As 13horas os moradores e visitantes, se reuniram na singela capela para a celebração do Santo Sacrifício da Santa Missa, que foi celebrada pelo pároco, o Reverendíssimo Padre Ilton de Paula Resende, a Santa Missa foi abrilhantada pelo Coral Sertanejo de Sant'Ana da Comunidade de Santo Antonio do Rio das Mortes Pequeno. Em seguida a majestosa imagem da Santíssima Trindade tomou algumas ruas ao redor da capela, na chegada foi dada a benção do Santíssimo Sacramento, procedido de animado leilão de gado e de prendas, encerrando assim mais uma bela festa em louvor de Deus Pai, Filho e Espírito Santo.









Visita da Imagem do Senhor Bom Jesus do Monte

Na entrada da celebração eucarística, o Senhor Bom Jesus do Monte foi recebido através de aplausos pelos moradores da localidade. Ao término da Santa Missa, os presentes, tiveram a oportunidade de orar aos pés da piedosa imagem do padroeiro da paróquia, que no próximo domingo, visitará a comunidade vizinha de São Gonçalo do Amarante(Caburú), onde os moradores celebraram o glorioso São Gonçalo.






Entrevista

"Esta festa é uma tradição de nossa comunidade, que é realizada no mês de julho, para que não coincida com outras festividades religiosas em louvor a Santíssima Trindade; é uma festa muito bem participada, todos os moradores colaboram com a festa graças a Deus."Retratou o Senhor Geraldo Moura. Segundo Moura, todo lucro arrecadado será revertido para o término das obras do salão da comunidade, que está em fase final.

Texto e fotos- Emanuel Souza

16º Domingo do Tempo Comum

Dom_Clio_-_Pscoa
Dia 20 de julho

Evangelho (Mt 13, 24-43).
“No tempo da colheita arrancai primeiro o joio e amarrai-o em feixes para ser queimado! Recolhei, porém, o trigo no meu celeiro” (Mt 13, 30).
As leituras do domingo nos ensinam que Deus é paciente, mas ao mesmo tempo querem nos mostrar que o mal e ação do inimigo – o demônio – estão muito mais perto de nós do que imaginamos. A Deus cabem a paciência e a misericórdia, a nós a perseverança e fidelidade nos propósitos assumidos. O Reino de Deus é para todos: bons e maus, santos e pecadores. Aos maus e pecadores é proposta a conversão e mudança de vida.  Mas Jesus nos ensina que haverá um momento final de colheita, em que o bom trigo será recolhido no celeiro do Pai, e o joio, que também fora semeado pelo inimigo, será jogado fora e queimado. Os que permanecerem fiéis receberão a recompensa.
A Igreja, corpo de Cristo, tem por missão encarnar entre os homens a paciência de Jesus. Seu papel é revelar no mundo a verdadeira face do amor. Para isso, temos os meios: os frutos da participação nos Sacramentos, principalmente a Eucaristia e a Penitência. Também todo o processo de evangelização que se faz através da catequese, das atividades das Pastorais e Movimentos, ajudam-nos no crescimento da fé e em nosso testemunho de vida. Ser como uma pequena semente de mostarda ou como o fermento na massa é a missão do cristão.
Na prática de nossa vivência cristã é bom termos autocrítica e discernimento, para nos avaliarmos cada dia, perguntando que semente tenho sido, ou se minha conduta tem sido capaz de mudar ambientes onde vivemos e de transformar pessoas de nosso relacionamento. Não podemos ter medo de conviver com o diferente, mas sim ter a coragem de apontar o caminho do bem. E também será necessário ter paciência com aqueles que erram, porque a graça de Deus atua junto a pessoas que, em um dia, quem sabe, possam se abrir ao conhecimento do caminho para Deus.

D. Célio de Oliveira Goulart – Bispo Diocesano.