sábado, 29 de agosto de 2015

Dia 29 de agosto - Martírio de São João Batista

A festa da natividade de são João Batista ocorre no dia 24 de junho. Ela faz parte da tradição dos cristãos, assim como esta que celebramos hoje, do martírio de são João Batista. No calendário litúrgico da Igreja, esta comemoração iniciou na França, no século V, sendo introduzida em Roma no século seguinte. A origem da comemoração foi a construção de uma igreja em Sebaste, na Samaria, sobre o local indicado como o do túmulo de são João Batista. João era primo de Jesus e foi quem melhor soube levar ao povo a palavra do Mestre. Jesus dedicou-lhe uma grande simpatia e respeito, como está escrito no evangelho de são Lucas: "Na verdade vos digo, dentre os nascidos de mulher, nenhum foi maior que João Batista". João Batista foi o precursor do Messias. Foi ele que batizou Jesus no rio Jordão e preparou-lhe o caminho para a pregação entre o povo. Não teve medo e denunciou o adultério do rei Herodes Antipas, que vivia na imoralidade com sua cunhada Herodíades. A ousadia do profeta despertou a ira do rei, que imediatamente mandou prendê-lo. João Batista permaneceu na prisão de Maqueronte, na margem oriental do mar Morto, por três meses. Até que, durante uma festa no palácio daquela cidade, a filha de Herodíades, Salomé, instigada pela ardilosa e perversa mãe, dançou para o rei e seus convidados. A bela moça era uma exímia dançarina e tinha a exuberância da juventude, o que proporcionou a todos um estonteante espetáculo. No final, ainda entusiasmado, o rei Herodes disse que ela poderia pedir o que quisesse como pagamento, porque nada lhe seria negado. Por conselho da mãe, ela pediu a cabeça de João Batista numa bandeja. Assim, a palavra do rei foi mantida. Algum tempo depois, o carrasco trazia a cabeça do profeta em um prato, entregando-a para Salomé e para sua maldosa mãe. O martírio por decapitação de são João Batista, que nos chegou narrado através do evangelho de são Marcos, ocorreu no dia 29 de agosto, um ano antes da Paixão de Jesus.
Fonte- http://diocesedecolatina.org.br/

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Padre Silvio abre novena em honra ao Bom Jesus

 Nesta sexta feira, dia 28 de agosto, memória de Santo Agostinho, foi iniciada a Novena em louvor ao Senhor Bom Jesus do Monte. As 15horas na Igreja Matriz, o pároco Padre Ilton celebrou o Santo Sacrifício da Missa, durante a homilia além de meditar sobre Santo Agostinho meditou sobre o Santo Ano da Misericórdia que se iniciou este ano e se prolongará até o ano de 2016. As 19horas quem presidiu a Santa Celebração foi o pároco da Paróquia de São Gonçalo do Amarante de Ibituruna(Forania de Lavras, Diocese de São João del Rei), Padre Silvio Firmo do Nascimento que durante a homilia meditou a misericórdia de Deus Pai.








Texto e fotos- Emanuel Souza

Orações da Novena do Bom Jesus - 1º dia


EM NOME DO PAI, DO FILHO E DO ESPIRITO SANTO.AMÉM
Foto- Emanuel Souza


Canto:Espirito Santo



Oração preparatória
T:O Deus pai de infinita compaixão e bondade, eu vos adoro na contemplação do Bom Jesus crucifixado. Quisestes que vosso filho unigênito sofreste cruelmente torturas e injustiças, porque de fato muitos corações endurecidos só se abalam diante do sofrimento do inocente, sede bendito,pois, por terdes dado a Jesus a coragem de sofrer por nós a afronta. A isto queremos responder por uma vida mais santa na caridade e na paciência. Assim seja.
S:Purificai meu coração,Jesus!
T:Olhai-me, Senhor, do alto da Vossa Cruz!
S:Fazei jorrar sobre mim vossas graças!
T:Inflamai meu coração em Vosso Amor. Perdoai-me Bom Jesus.



Primeiro Dia
S:Bom Jesus, valei sofrer sofrer por mim a abrir meu coração aos vossos desejos.Que a expressão do vosso olhar me ajude, em minha caminhada e me abrace no vosso amor e me torne mais capaz cada dia de olhar, com mais amor meus irmãos,especialmente os mais sofridos e afastados de vós.
T:Abençoai, Senhor Bom Jesus, a mim e a todos os meus irmãos.(Reza-se todos os dias apos a leitura)



Preces
S:Rezemos ao Nosso Senhor Bom Jesus do Monte, que ouve sempre com bondade a suplica de seus filhos e o bendigamos.
T:Vós sois para nós senhor vida e salvação.
S:Deus eterno, e todo-poderoso, pelo batismo nos iluminastes com o novo Sol: que esta luz, que é Cristo, ilumine a nossa caminhada terrestre para um feliz fim.
T:Vós sois para nós Senhor vida e salvação.
S:Concedei-nos vossa sabedoria eterna: que ela acompanhe e auxilie nossos trabalhos, guiando-os para a felicidade eterna.
T:Vós sois para nós senhor vida e salvação.
S:Guardai-nos durante a viagem para o céu, puros do pecado, enriquecei-nos com vossa graça.
T:Vós sois para nós senhor vida e salvação.
S:Sois nosso socorro e nossa defesa: dai-nos a concórdia e a paz.
T:Vós sois para nós senhor vida e salvação.



Ladainha do Senhor Bom jesus
Senhor,tende piedade de nós
Jesus Cristo,tende piedade de nós
Senhor,tende piedade de nós
Jesus Cristo,ouvi-nos
Jesus Cristo,atendei-nos
Deus pai do céus,tende piedade de nós
Deus Filho Redentor do mundo,tende piedade de nós
Deus Espirito Santo,tende piedade de nós
Santíssima Trindade que sois um só Deus,tende piedade de nós
Bom Jesus, filho do Deus vivo,tende piedade de nós
Bom Jesus, feito homem pelo Espirito Santo,tende piedade de nós
Bom Jesus, nascido da Virgem Maria,tende piedade de nós
Bom Jesus, adorado pelos pastores,tende piedade de nós
Bom Jesus, ferido na circuncisão,tende piedade de nós
Bom Jesus, adorado pelos reis magos,tende piedade de nós
Bom Jesus, perseguido pelo Rei Herodes,tende piedade de nós
Bom Jesus, fugindo para o Egito,tende piedade de nós
Bom Jesus, obediente a Maria e a Jose,tende piedade de nós
Bom Jesus, batizado no Jordão,tende piedade de nós
Bom Jesus, jejuando no deserto,tende piedade de nós
Bom Jesus, tentado pelo demônio,tende piedade de nós
Bom Jesus, ensinando os homens,tende piedade de nós
Bom Jesus, curando os doentes,tende piedade de nós
Bom Jesus, ressuscitando os mortos,tende piedade de nós
Bom Jesus, convertendo os pecadores,tende piedade de nós
Bom Jesus, lavando os pés dos apostolos,tende piedade de nós
Bom Jesus, instituindo o Ss. Sacramento,tende piedade de nós 
Bom Jesus,vendido  por trinta moedas,tende piedade de nós
Bom Jesus, orando no Horto das Oliveirastende piedade de nós
Bom Jesus, agonizando e suando sangue,tende piedade de nós
Bom Jesus, entregue aos inimigos por Judas,tende piedade de nós
Bom Jesus, preso e amarrado,tende piedade de nós
Bom Jesus, esbofeteado na casa de Caifás,tende piedade de nós
Bom Jesus, escarnecido por Herodes,tende piedade de nós
Bom Jesus, açoitado cruelmente,tende piedade de nós
Bom Jesus, coroado de espinhos,tende piedade de nós
Bom Jesus, maltratado como falso rei,tende piedade de nós
Bom Jesus, condenado a morte,tende piedade de nós
Bom Jesus, carregando a cruz,tende piedade de nós
Bom Jesus, despido no calvário,tende piedade de nós
Bom Jesus, pregado na cruz,tende piedade de nós
Bom Jesus, blasfemado pelo povo,tende piedade de nós
Bom Jesus, amargurado com o fel,tende piedade de nós
Bom Jesus, encomendado o vosso Espirito ao Pai Eterno,tende piedade de nós
Bom Jesus, morrendo na cruz,tende piedade de nós
Bom Jesus, ferido com a lança,tende piedade de nós
Bom Jesus, depositado nos braços de Vossa Mae,tende piedade de nós
Bom Jesus, pobremente sepultado,tende piedade de nós
Bom Jesus, gloriosamente ressuscitado,tende piedade de nós
Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo,perdoai-nos Senhor
Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo,ouvi-nos Senhor
Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo,tende piedade de nós



S:Oremos
Senhor Bom Jesus,que por amor aos homens, quisestes padecer e morrer para a salvação de todos.Pedimos que vos digneis aceitar a lembrança que acabamos de fazer de vossa Santíssima vida. A vossa devoção seja escudo que nos defenda  dos inimigos e chave de ouro que um dia abra as portas do céu.Por Cristo Senhor Nosso.Amem.



Oração a Jesus Crucificado
T:Meu Jesus crucificado, dignai-vos conceder-me a graça que peço, para a hora da minha morte, quando me faltar o uso dos sentidos.
Quando pois,duciscimo Jesus, os meus olhos languidos e amortecidos, já não puder fitar, lembrai-vos deste olhar suplicante, que agora lanço ao crucifixo, e compadecei-vos de mim!
Quando meus lábios, ressequidos pela febre, não puder beijar as vossas, sacratíssimas chagas, lembrai-vos dos beijos que agora lhes imprimo, e compadecei-vos de mim!
Quando minhas mãos frias, não puderem apertar contra, meu peito o crucifixo, lembrai-vos dos sentimentos com que agora o abraço e compadecei-vos de mim!
Quando, finalmente, minha língua endurecida e inerte já não puder falar convosco, lembrai-vos das ardentes súplicas que agora vos dirijo.
Jesus, Maria e Jose encomendo-vos a alma.
Pai-nosso,Ave-Maria e Gloria-Patri



(Insensação)



S:Nós vos adoramos ó Cristo e vos bendizemos
T:Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.



Oremos:
Senhor Jesus Cristo que na sexta hora, para a redenção do mundo, subiste ao patíbulo da cruz e derramastes vosso precioso sangue para a remissão dos pecados, rogamo-vos humildemente que depois de nossa more,nos concedais passar, cheios de gloria, as portas do paraíso. Vós que viveis e reinais pelos seculos dos seculos.
Amem
S:O divino auxilio permaneça sempre convosco.
Amem

Dia 28 de agosto - Dia de Santo Agostinho


Bispo e doutor da Igreja (354-430)
Aurélio Agostinho nasceu no dia 13 de novembro de 354, na cidade de Tagaste, hoje região da Argélia, na África. Era o primogênito de Patrício, um pequeno proprietário de terras, pagão. Sua mãe, ao contrário, era uma devota cristã, que agora celebramos como santa Mônica, no dia 27 de agosto. Mônica procurou criar o filho no seguimento de Cristo. Não foi uma tarefa fácil. Aliás, ela até adiou o seu batismo, receando que ele o profanasse. Mas a exemplo do provérbio que diz que "a luz não pode ficar oculta", ela entendeu que Agostinho era essa luz. Aos 16 anos de idade, na exuberância da adolescência, foi estudar fora de casa. Na oportunidade, envolveu-se com a heresia maniqueísta e também passou a conviver com uma moça cartaginense, que lhe deu, em 372, um filho, Adeodato. Assim era Agostinho, um rapaz inquieto, sempre envolvido em paixões e atitudes contrárias aos ensinamentos da mãe e dos cristãos. Possuidor de uma inteligência rara, depois da fase de desmandos da juventude, centrou-se nos estudos e formou-se, brilhantemente, em retórica. Excelente escritor, dedicava-se à poesia e à filosofia. Procurando maior sucesso, Agostinho foi para Roma, onde abriu uma escola de retórica. Foi convidado para ser professor dessa matéria e de gramática em Milão. O motivo que o levou a aceitar o trabalho em Milão era poder estar perto do agora santo bispo Ambrósio, poeta e orador, por quem Agostinho tinha enorme admiração. Assim, passou a assistir aos seus sermões. Primeiro, seu interesse era só pelo conteúdo literário da pregação; depois, pelo conteúdo filosófico e doutrinário. Aos poucos, a pregação de Ambrósio tocou seu coração e ele se converteu, passando a combater a heresia maniqueísta e outras que surgiram. Foi batizado, junto com o filho Adeodato, pelo próprio bispo Ambrósio, na Páscoa do ano de 387, com 33 e 15 anos de idade, respectivamente. Nessa época, Agostinho passou por uma grande provação: seu filho morreu. Era um menino muito inteligente, a quem dedicava muita atenção e afeto. Decidiu, pois, voltar com a mãe para sua terra natal, a África, mas Mônica também veio a falecer, no porto de Óstia, não muito distante de Roma. Depois do sepultamento da mãe, Agostinho prosseguiu a viagem, chegando a Tagaste em 388. Lá, decidiu-se pela vida religiosa e, ao lado de alguns amigos, fundou uma comunidade monástica, cujas Regras escritas por ele deram, depois, origem a várias Ordens, femininas e masculinas. Porém, o então bispo de Hipona decidiu que "a luz não devia ficar oculta" e convidou Agostinho para acompanhá-lo em suas pregações, pois já estava velho e doente. Para tanto, ele consagrou Agostinho sacerdote e, logo após a sua morte, em 397, Agostinho foi aclamado pelo povo como novo bispo de Hipona. Por 34 anos, Agostinho foi bispo daquela diocese, considerado o pai dos pobres, um homem de alta espiritualidade e um grande defensor da doutrina de Cristo. Na verdade, foi definido como o mais profundo e importante filósofo e teólogo do seu tempo. Sua obra iluminou quase todos os pensadores dos séculos seguintes. Escreveu livros importantíssimos, entre eles sua autobiografia, "Confissões", e "Cidade de Deus". Depois de uma grave enfermidade, morreu amargurado, aos 76 anos de idade, em 28 de agosto de 430, pois os bárbaros haviam invadido sua cidade episcopal. Em 725, o seu corpo foi transladado para Pavia, Itália, sendo guardado na igreja São Pedro do Céu de Ouro, próximo do local de sua conversão. Santo Agostinho recebeu o honroso título de 'Doutor da Igreja' e é celebrado no dia de sua morte.
Fonte- http://diocesedecolatina.org.br/

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Dia 27 de agosto - Dia de Santa Mônica


Mônica nasceu em Tagaste, atual Argélia, na África, no ano 332, no seio de uma família cristã. Desde muito cedo dedicou sua vida a ajudar os pobres, que visitava com frequência, levando o conforto por meio da Palavra de Deus. Teve uma vida muito difícil. O marido era um jovem pagão muito rude, de nome Patrício, que a maltratava. Mônica suportou tudo em silêncio e mansidão. Encontrava o consolo nas orações que elevava a Cristo e à Virgem Maria pela conversão do esposo. E Deus recompensou sua dedicação, pois ela pôde assistir ao batismo do marido, que se converteu sinceramente um ano antes de morrer. Tiveram dois filhos, Agostinho e Navígio, e uma filha, Perpétua, que se tornou religiosa. Porém Agostinho foi sua grande preocupação, motivo de amarguras e muitas lágrimas. Mesmo dando bons conselhos e educando o filho nos princípios da religião cristã, a vivacidade, inconstância e o espírito de insubordinação de Agostinho fizeram com que a sábia mãe adiasse o seu batismo, com receio de que ele profanasse o sacramento. E teria acontecido, porque Agostinho, aos 16 anos, saindo de casa para continuar os estudos, tomou o caminho dos vícios. O coração de Mônica sofria muito com as notícias dos desmandos do filho e por isso redobrava as orações e penitências. Certa vez, ela foi pedir os conselhos do bispo, que a consolou dizendo: "Continue a rezar, pois é impossível que se perca um filho de tantas lágrimas". Agostinho tornou-se um brilhante professor de retórica em Cartago. Mas, procurando fugir da vigilância da mãe aflita, às escondidas embarcou em um navio para Roma, e depois para Milão, onde conseguiu o cargo de professor oficial de retórica. Mônica, desejando a todo custo ver a recuperação do filho, viajou também para Milão, onde, aos poucos, terminou seu sofrimento. Isso porque Agostinho, no início por curiosidade e retórica, depois por interesse espiritual, tinha se tornado frequentador dos envolventes sermões de santo Ambrósio. Foi assim que Agostinho se converteu e recebeu o batismo, junto com seu filho Adeodato. Assim, Mônica colhia os frutos de suas orações e de suas lágrimas. Mãe e filho decidiram voltar para a terra natal, mas, chegando ao porto de Óstia, perto de Roma, Mônica adoeceu e logo depois faleceu. Era 27 de agosto de 387 e ela tinha 56 anos. O papa Alexandre III confirmou o tradicional culto a santa Mônica, em 1153, quando a proclamou Padroeira das Mães Cristãs. A sua festa é celebrada no dia de sua morte. O seu corpo, venerado durante séculos na igreja de Santa Áurea, em Óstia, em 1430 foi trasladado para Roma e depositado na Igreja de Santo Agostinho.
Uma de suas frases: "Nada está longe de Deus".
Fonte- http://diocesedecolatina.org.br/

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Jovens participam de Encontro Vocacional em SJDR

11923198_908682612549936_1381861558455773413_n
No último fim de semana aconteceu o terceiro Encontro Vocacional deste ano, no Seminário São Tiago, na Cohab. Com participação de 28 jovens, de várias Paróquias da Diocese, o encontro proporcionou momentos de reflexão sobre vocação.
Palestras, momentos de oração e lazer, atendimento personalizado com o reitor do Seminário, Padre Álisson, e atendimento psicológico, tudo isso fez parte da programação do encontro, além do convívio amistoso. Tudo, segundo os planos de Deus.
“Alguns desses jovens terão início, no próximo ano, a caminhada em vista do sacerdócio. Para um bom êxito, devemos rezar, para que as reflexões que tiveram neste período sejam frutuosas e que eles saibam se abrir ao chamado de Deus”, disse Padre Álisson, reitor do Seminário.
11949386_883475958408885_2860587972747499898_nQuestionado sobre quem pode entrar para o seminário, o sacerdote explica: “O primeiro passo é a vivencia paroquial. O jovem deve se dedicar a sua Paróquia, seja ele coroinha, ou assumindo algum outro movimento ou pastoral. É nesse trabalho que ele demonstra seu desejo em seguir essa caminhada vocacional”. Após esse chamado, o jovem deve procurar seu pároco, para que o encaminhe aos encontros vocacionais. São quatro encontros de apoio espiritual e psicológico para que o jovem conheça a si mesmo antes de iniciar a caminhada. “O ideal é que o jovem esteja, pelo menos, no ensino médio. Ele deve fazer u e tenha feito um ano de encontro vocacional. Em nossa Diocese, por não obter seminário menor, só acolhemos no seminário após o término do ensino médio”, detalhou Padre Álisson.

Dia 25 de agosto - Dia de São Luiz IX, Rei da França

Luís IX, rei da França, nasceu no dia 25 de abril de 1215, no castelo real de Poissy. Era filho de Luís VIII e de Branca de Castela, ambos piedosos e zelosos, que o cercaram de cuidados, especialmente após a morte do primogênito. Trataram pessoalmente da sua educação e formação religiosa. Foram tão bem sucedidos, que Luís IX tornou-se um dos soberanos mais benevolentes da história, um fervoroso cristão e fiel da Igreja. Com a morte prematura do seu pai em 1226, a rainha, sua mãe, uma mulher caridosa, de grandes dotes morais, intelectuais e espirituais, tutelou o filho, que foi coroado rei Luís IX, pois ele era muito novo para dirigir uma Corte sozinho. Tomou as rédeas do poder e manteve o filho longe de uma vida de depravação e de pecado, tão comum das cortes. Mas Luís, já nessa idade, possuía as virtudes que o levaram à santidade — a piedade e a humildade —, e que o fizeram o modelo de "rei católico". Em 1235, casou-se com Margarida de Provença, uma jovem princesa, que, assim como ele, cultivava grandes virtudes. O marido reinou com justiça e solidariedade. Possuía um elevado senso de piedade, incomum aos nobres e poderosos de sua época. Tinha coração e espírito sempre voltados para as coisas de Deus, lia com frequência a Sagrada Escritura e as obras dos santos Padres e aconselhava-as a todos os seus nobres da Corte. Com o auxilio da rainha, fundou igrejas, conventos, hospitais, abrigos para os pobres, órfãos, velhos e doentes. O casal real teve dez filhos, todos educados como eles e por eles. Como resultado desta firme educação cristã, foram reis e rainhas de muitas cortes, que governaram com sabedoria, prudência e caridade. Depois de ter adquirido de Balduíno II, imperador de Constantinopla, a coroa de espinhos de Cristo, que, segundo a tradição, era a mesma usada na cabeça de Jesus, ele mandou erguer uma belíssima igreja para abrigá-la numa redoma de cristal. Trata-se da belíssima Sainte-Chapelle, que pode ser visitada em Paris. Acometido de uma grave doença, em 1245 Luís IX quase morreu. Então, fez uma promessa: caso sobrevivesse, empreenderia uma cruzada contra os turcos muçulmanos que ocupavam a Terra Santa. Quando recuperou a saúde, em 1248, apesar das oposições da Corte, cumpriu o que havia prometido. Preparou um grande exército e, por várias vezes, comandou as cruzadas para a Terra Santa. Mas em nenhuma delas teve êxito. Primeiro, foi preso pelos muçulmanos, que o mantiveram no cativeiro durante seis anos. Depois, numa outra investida, quando se aproximava de Tunis, foi acometido pela peste e ali morreu, no dia 25 de agosto de 1270.
Os cruzados voltaram para a França trazendo o corpo do rei Luís IX, que já tinha fama e odor de santidade. O seu túmulo tornou-se um local de intensa peregrinação, onde vários milagres foram observados. Assim, em 1297 o papa Bonifácio VIII declarou santo Luís IX, rei da França, mantendo o culto já existente no dia de sua morte.
Fonte- http://diocesedecolatina.org.br/