domingo, 14 de setembro de 2014

Solenidade da Exaltação da Santa Cruz.

imagens_109201494911
Evangelho Jo 3, 13-17
“Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele”.
(Jo 3, 17)
A solenidade de hoje celebrada em nossa Igreja destaca a importância da Cruz do Senhor Jesus. Ela é exaltada, ela se destaca no contexto do Mistério da Salvação, por se tornar o sinal visível do amor de Jesus Cristo por nós. Todas as três leituras evidenciam o poder da cruz: na primeira leitura a cruz está presente no simbolismo da serpente de bronze que Moisés manda levantar no deserto, para ser sinal de vida aos que haviam sido ofendidos pelas serpentes. Na carta aos Filipenses há a lição profunda que o Salvador deixa para toda a humanidade, ao se rebaixar, torna-se humilde e obediente até a morte de cruz para nos dar a vida. Na conversa de Jesus com Nicodemos, no evangelho de João, é o próprio Jesus confirmando que sua morte na cruz seria para a salvação e não para a condenação do mundo.
Deus é glorificado na maneira como seu Filho Jesus deu a vida por amor a nós. Por isso devemos levar à prática de nossa vida cristã esta proposta que o próprio Jesus deixou muitas vezes no coração dos que o ouviram e que ressoa hoje também para nós: “E quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim” (Mt 10, 38). Não devemos enxergar a cruz com desprezo ou com medo, mas procurar compreender o mistério do amor de Deus que se revelou na cruz.
Por isso a cruz será sempre a força e a glória de Deus, como também um sinal expressivo para o mundo em que hoje vivemos. Percebe-se que no contexto secularizado em que hoje vivemos, há pessoas que têm medo da cruz de Jesus Cristo. Querem que ela seja retirada de locais públicos, alegando que nosso mundo não precisa mais deste sinal! Quando se tira este sinal, que  então nós, cristãos, sejamos sinais vivos do amor de Deus por onde estivermos. Levá-la em nosso peito, trazê-la em nossas casas, deverá ser sempre um sinal vivo de que a amamos e queremos também viver sua lição de vida.

D. Célio de Oliveira Goulart – Bispo Diocesano. 

14 de setembro- aniversário de Dom Frei Célio


quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Nota de Falecimento - Padre Honório Link

Faleceu, no início da tarde desta quinta-feira, 11, na cidade de São Paulo, Padre Honório Armando Link. O sacerdote Dehoniano trabalhou alguns anos como vigário paroquial de Sant’Ana, em Lavras. Padre Honório era sobrinho de Padre Reinaldo, um dos candidatos brasileiros para beatificação.
Seu sepultamento está previsto para as 9h30 desta sexta-feira, na cidade de Taubaté, SP. O sacerdote faleceu aos 91 anos, após sofrer um AVC acompanhado de uma pneumonia.

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Devotos celebram com alegria o Dia Maior do Senhor do Monte


Foi celebrado neste domingo, 7 de setembro, em nossa paróquia o dia maior dedicado ao Senhor Bom Jesus do Monte. As 5h30 os sinos já anunciavam a chegada do grande dia do Senhor do Monte.
As 7h30 foi celebrada uma Santa Missa na Igreja de Nossa Senhora da Saúde, com a igreja repleta de fiéis foi rezada a primeira Missa do grande dia do Bom Jesus. As 8h30 se iniciou a quarta corrida rústica do Senhor Bom Jesus, que reuniu corredores de toda a região, Tiradentes, Dores de Campo, Barroso, etc. As 9horas na Igreja Matriz o Reverendíssimo Senhor Padre Ilton, pároco de nossa paróquia, celebrou a Santa Missa solene do padroeiro. A Matriz paroquial ficou mais uma vez repleta de fiéis devotos.
As 17h15, na Avenida Nossa Senhora da Saúde, foi celebrada a pela última vez no dia a Memória da Paixão de Cristo. A rua ficou latada de devotos, que vieram de todos os cantos da cidade e da região. No término da celebração cerca de 2.500 pessoas acompanharam o andor do Bom Jesus. Na chegada da procissão foi dada a benção do Santíssimo Sacramento.


Texto e fotos- Emanuel Souza

Paroquianos de Coroas celebram o último dia da Novena

15horas

As 15horas do sábado, dia 6 de setembro, na Matriz do Bom Jesus o pároco Pe Ilton celebrou o último dia da Novena em honra do Senhor Bom Jesus do Monte; a Matriz mais uma vez ficou repleta de fiéis.

19horas

O Reverendíssimo Padre José Raimundo da Costa, pároco de Nossa Senhora da Conceição de Coronel Xavier Chaves, celebrou as 19horas o Santo Sacrifício da Missa. A Igreja de Nossa Senhora da Saúde esteve repleta de devotos do Senhor Jesus Cristo. Após a Santa Missa o pároco Padre Ilton celebrou o último dia da novena.
Texto e fotos- Emanuel Souza

Restaurada, imagem de Nossa Senhora da Piedade volta ao Santuário de Caeté

Especialistas do Iphan, Iepha e a restauradora Carla Castro Silva avaliaram as condições da peça em março.A padroeira de Minas voltará à ermida da Serra da Piedade, em Caeté, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Fora do altar desde 31 de março para restauração, a obra atribuída a Antonio Francisco Lisboa (1738-1814), o Aleijadinho, cujo bicentenário de morte é lembrado este ano, será reentronizada na semana que vem, encontrando o interior da capela-mor já pintado. O Santuário Nossa Senhora da Piedade – Padroeira do Estado de Minas Gerais vem sendo alvo de intensa visitação, com caravanas de fiéis todos os fins de semana, devido às atividades do tradicional jubileu com término em 12 de outubro. A especialista Carla Castro Silva, encarregada do serviço, explicou que a imagem está pronta para ser retirada do ateliê montado no santuário para garantir mais segurança. “Foram removidos o verniz da escultura, aplicado numa intervenção feita em 1998, e manchas roxas da face”, informou. Além disso, a equipe do Ateliê de Restauro executou a limpeza completa da peça de madeira policromada e vai fazer o mesmo no altar da Pietá das Gerais. Nossa Senhora com o filho morto nos braços vem recebendo, nos últimos 17 anos, a luz solar que passa através de um óculo e, por determinação dos órgãos de patrimônio, essa abertura na parte superior da capela será fechada, evitando-se, assim, novos danos à relíquia barroca.
Equipe fez limpeza completa na peça de madeira, removeu o verniz e manchas roxas da face.Conforme documentou o Estado de Minas, a retirada da imagem consistiu numa operação cuidadosa, com acompanhamento de profissionais do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha), instituições responsáveis pelo tombamento desse patrimônio cultural, espiritual, paisagístico e natural.
O trabalho demandou montagem de dois andaimes – um ligado ao camarim, onde a escultura se encontra há mais de 200 anos, e outro mais baixo, perto do altar. Quatro funcionários do santuário seguraram a peça de 1,25 metro de altura por 1 metro de largura e cerca de 100kg e a puseram na primeira estrutura. Na sequência, a relíquia foi colocada sobre o andor, que estava a postos no segundo andaime, e seguiu para a Casa dos Peregrinos. Como a ermida está em obras e fechada para os cultos, brasileiros e estrangeiros só poderão ver o resultado no mês que vem, depois do dia 12.
Fonte- http://defender.org.br/

domingo, 7 de setembro de 2014

23º Domingo do Tempo Comum

28_eventos-0081
Evangelho Mt 18, 15-20.
“Se dois de vós estiverem de acordo na terra sobre qualquer coisa que quiserem pedir, isso lhes será concedido por meu Pai que está nos céus”.
(Mt 23, 19)
A passagem do evangelho proclamado do domingo nos ajuda a entender a dimensão eclesial do nosso ser cristão. Em seus ensinamentos Jesus Cristo mostrou claramente que seus seguidores deverão formar uma comunidade de vida. Na comunidade de vida podemos pensar diferente, mas nunca podemos ficar divididos e para isso temos a correção fraterna ou a prática da reconciliação no sacramento da confissão. Ao cometer uma falta, o irmão deve ser levado a fazer sua correção; caso ele permaneça de coração fechado, que se faça a correção fraterna com a presença de testemunhas; caso ele não se reconheça ainda em se abrir à vivência de amor na comunidade, deverá ser excluído da comunidade.

A prática penitencial da Igreja nos primeiros tempos testemunha a grande seriedade e coerência no esforço da conversão. O pecador só encontra o perdão de Deus na redescoberta de sua misericórdia atuando na Igreja, especialmente quando a comunidade se reúne para a celebração eucarística, onde se evidencia a redenção adquirida por nós pelo gesto de Jesus Cristo que, por amor, deixou-se morrer crucificado. E sua morte é a visualização da misericórdia infinita de Deus Pai por nós. Por que então ficarmos presos a pequenas coisas que demonstram nosso egoísmo, nosso orgulho, nossa vaidade? O testemunho mais forte que podemos dar ao mundo de hoje é a vida em comunidade. Somos diferentes, mas saibamos nos perdoar e nos amar na prática do amor fraterno e na vivência apostólica em nossas Pastorais e Movimentos.

Neste mês da Bíblia, a Igreja nos propõe conhecer melhor o conteúdo do texto do evangelho de São Mateus. Seria bom que em cada dia lêsemos alguns trechos deste evangelista. Ao início do evangelho em nossas Bíblias há uma explicação da origem e formação do texto de São Mateus. Ler esta explicação nos ajuda a entender que Mateus escreve seu evangelho para nos mostrar de modo muito catequético que Jesus é o Mestre, o modelo do mestre cristão.

D. Célio de Oliveira Goulart – Bispo Diocesano

Emoção marca o oitavo dia da novena em louvor ao Bom Jesus

15horas

As 15horas, o Reverendíssimo Padre Ilton, celebrou a Santa Missa, após a Santa Celebração foi rezada a novena em honra ao Bom Jesus. Depois da novena o reverendíssimo sacerdote deu a unção aos enfermos.

19horas

O Reverendíssimo Padre Frei Mário Rodrigues dos Reis, Pároco de São Francisco de Assis, celebrou as 19horas a Santa Missa e a novena. Durante a homilia o Frei destacou a importância da Catequese nas comunidades.

Procissão

Após o exercício do oitavo dia da novena, a veneranda imagem de Nossa Senhora da Piedade tomou as ruas do bairro, e levando com sigo um grande número de fiéis. Na chegada da procissão se via estampado nos olhos dos devotos a emoção, para com a Mãe de Deus.
Texto e fotos- Emanuel Souza