quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Paróquia Dom Bosco celebra 80 anos

festa-dom-boscoA Paróquia São João Bosco, em São João del-Rei, nasceu em 1936 por decreto do então bispo de Mariana, o salesiano Dom Helvécio Gomes de Oliveira. Ainda sem uma sede definitiva, funcionava na Capela do Albergue Santo Antônio. 80 anos depois, a paróquia se torna cada vez mais presente na vida dos são-joanenses. Sem dúvida, tamanha história merece comemoração. Quem passa pela famosa Avenida Leite de Castro se deslumbra com a igreja, de estilo moderno e alegre, bem no topo do alto morro. Ali, se encontra fé, devoção de um povo e uma construção de comunidade. Hoje, a paróquia reúne 12 comunidades, sendo sete urbanas e cinco rurais, Capelanias, Movimento Comunitário Dom Bosco, Oratório Festivo, Centro de Cooperadores, Damas Salesianas e se organiza em 36 setores, cada um coordenado por um ou mais zeladores. Além disso, muitos movimentos, grupos e pastorais trabalham voluntariamente em prol do crescimento paroquial. Para celebrar esses 80 anos de história a paróquia promove, a partir de quinta-feira, 08, uma grande celebração.

Dia 7 de dezembro - Memória de Santo Ambrósio

Resultado de imagem para Santo AmbrósioSanto Ambrósio, usou as qualidades de organizador e administrador para o bem da Igreja. Hoje fazemos memória em toda a Igreja de Santo Ambrósio, Bispo e Doutor da Igreja. De nobre e distinta família romana, nasceu provavelmente em 339, em Tréviros, onde seu pai exercia o cargo de prefeito das Gálias. A mãe ficou viúva muito cedo e voltou a Roma com três filhos: Marcelina, que se consagrou a Deus e tomou o véu das virgens; Sátiro, que morreu em 378, depois de exercer altos cargos do Estado; e Ambrósio, o último, que seguiu a carreira diplomática, tradicional na família. Ambrósio desde cedo aprendeu a alimentar as virtudes cívicas e morais, ao ponto de ter sido governador da Emília, do Lácio e de Milão, antes de ser Bispo. Estudou Direito antes de estudar Teologia. A mãe de Ambrósio devia ser cristã praticante e generosa. O Papa Libério (352-366) impôs pessoalmente o véu à filha dela, Marcelina, e parece que visitava a casa da nobre senhora romana. Todos da família beijavam a mão de Libério. Ambrósio, ainda criança, depois de se despedir do Pontífice, tratou de imitá-lo e estendeu a mão aos criados e à irmã, para que a beijassem. Marcelina recusou-a com bons modos mas ele respondia: “Não sabes que eu também hei-de ser Bispo?” Dizia então Ambrósio, por brincadeira, mais do que sabia. No entanto, era para isso que a Divina Providência o destinava. Ambrósio era governador de Milão. Com a morte do Bispo de Milão, chamado Ariano, Ambrósio foi para a eleição do novo Bispo, a fim de evitar grandes conflitos. Em meio a confusão, de repente uma criança grita: “Ambrósio, Bispo!”. O Clero e o povo aderiu e todos aclamaram: “Queremos Ambrósio Bispo!”. O povo teve que teimar durante uma semana, até que vendo nisto a voz de Deus, Ambrósio que ocupava alto cargo no Império Romano e somente era catecúmeno, cedeu a vontade do Senhor. O 1° Concílio de Niceia (325) tinha proibido que subisse ao Episcopado qualquer neófito. Mas o Papa e o Imperador aprovaram a eleição. Depois de batizado, foi ordenado sacerdote e logo em seguida Bispo de Milão. Tudo isso no ano de 374. Providencialmente usou as qualidades de organizador e administrador para o bem da Igreja, podendo assim atuar no campo pastoral, político, doutrinal, litúrgico, ao ponto de merecer o título de grande Doutor e Padre do Cristianismo no Ocidente. Sua figura política ficou marcante, principalmente quando aplicou ao Imperador uma dura penitência pública comum, pois teria Teodósio consentido uma invasão à cidade de Tessalônica, que resultou na morte de muitos. À Imperatriz Justina, que desejou restaurar a estátua da deusa Vitória, opôs-se valentemente enquanto viveu. Santo Ambrósio, como homem de Deus, partilhou sua riqueza material e espiritual com o povo; jejuava sempre; pai carinhoso e tão grande orador que teve papel importante na conversão de Santo Agostinho. Deixou muitos escritos e morreu com 60 anos no ano de 397, após 23 anos de serviço ao seu amado Cristo, com estas palavras: “Não vivi de tal modo que tenha vergonha de continuar vivendo; mas não tenho medo de morrer, porque temos um Senhor que é bom”.
Fonte- http://santo.cancaonova.com/

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Oração, estudo e visitas marcam missão de seminaristas em Santa Cruz de Minas

Atendendo o apelo de Jesus de ir sem medo e evangelizar, reforçado pelo pedido do Papa Francisco de que a Igreja esteja em saída para anunciar a Boa Nova do Reino de Deus, seminaristas do Seminário São Tiago, da Diocese de São João del-Rei, deram início no última sábado, 03, a missão anual. O evento na paróquia São Sebastião, em Santa Cruz de Minas e prossegue até sexta-feira, 09. Missas, orações, trabalhos pastorais, estudos e visitas às casas fazem parte da programação. A intenção, segundo o reitor do seminário de formação, em Juiz de Fora, padre Álisson Sacramento, é engajar os jovens vocacionados nos trabalhos pastorais da igreja. “Diante do apelo que nós temos, percebemos a importância dos seminaristas estarem engajados no trabalho missionário, sobretudo, no contato com o povo, vendo a necessidade e aflições da população”, explica. Realizado pela terceira vez na diocese, a atividade já faz parte do calendário anual e cria expectativas por parte dos formadores. “A proposta inicial é que seja feito no território diocesano, mas pensamos em um trabalho externo, mas, ainda, nada concretizado”, declara Sacramento.
Renan Vasconcelos vê a atividade como um ponto alto em sua caminhada vocacional. Terminando o propedêutico, o jovem vê o crescimento da missão em sua vida, antes de ingressar os estudos de filosofia, em Juiz de Fora. “A missão é um momento favorável para que possamos ir ao encontro do povo. Conhecemos de perto a realidade das nossas comunidades, as dificuldades e avanços pastorais, fazendo com que tenhamos um olhar ainda mais misericordioso para com nossos irmãos. Crescemos no âmbito humano e pastoral e ficamos muito felizes ao vermos como o povo de Deus é bom”. Se para o “iniciante” é novidade, para “veteranos” é um prazer imenso. Thairo Guimarães que o diga. O seminarista que caminha para o terceiro ano de Teologia não hesita em falar das expectativas diante do trabalho tão aguardado. “Missão é sempre um exercício que nos edifica e revigora a comandos de que adere a esse projeto. Nós Seminaristas sempre aguardamos com muita vontade as missões. Esperamos que tudo dê certo, e que possamos corresponder às expectativas também desta comunidade paroquial”, destaca . A ação termina na sexta-feira, 09, e contará com missa presidida pelo bispo, Dom Célio de Oliveira Goulart. Durante a celebração haverá concessão de ministérios de leitores e acólitos para os seminaristas da Teologia. A celebração está prevista para as 18h20, com procissão e missa na Matriz.
Fotografias: Pastoral da Comunicação Santa Cruz de minas

Dia 6 de dezembro - Memória de São Nicolau

Resultado de imagem para são nicolauSão Nicolau, conquistou a todos com sua caridade, espírito de oração e carisma de milagres. O santo deste dia é São Nicolau, muito amado pelos cristãos e alvo de inúmeras lendas. Filho de pais ricos com profunda vida de oração, nasceu Nicolau no ano 275 em Pátara, na Ásia Menor. Tornou-se sacerdote da diocese de Mira, onde com amor evangelizou os pagãos, mesmo no clima de perseguição que os cristãos viviam. São Nicolau é conhecido principalmente para com os pobres, já que ao receber por herança uma grande quantia de dinheiro, livremente partilhou com os necessitados. Certa vez, Nicolau sabendo que três pobres moças não tinham os dotes para o casamento e por isso o próprio pai, na loucura, aconselhou a prostituição, jogou pela janela da casa das moças três bolsas com o dinheiro suficiente para os dotes das jovens. Daí que nos países do Norte da Europa, usando da fantasia, viram em Nicolau o velho de barbas brancas que levava presentes às crianças no mês de dezembro. Sagrado Bispo de Mira, Nicolau conquistou a todos com sua caridade, zelo, espírito de oração  e carisma de milagres. Historiadores relatam que ao ser preso, por causa da perseguição dos cristãos, Nicolau foi torturado e condenado a morte, mas felizmente se salvou em 313, pois foi publicado o edito de Milão que concedia a liberdade religiosa. São Nicolau participou do Concilio de Nicéia, onde Jesus foi declarado consubstancial ao Pai. Entrou Nicolau no Céu em 324 ao morrer em Mira com fama de santidade e de instrumento de Deus para que muitos milagres chegasse ao povo.
Fonte- http://santo.cancaonova.com/

domingo, 4 de dezembro de 2016

Dia 4 de dezembro - Memória de São João Damasceno

Resultado de imagem para São João DamascenoCom seus escritos, São João Damasceno defendeu principalmente a Igreja contra os iconoclastas, que condenavam o uso de imagens nas Igrejas. Lembramos São João Damasceno, um santo Padre e Doutor da Igreja de Cristo. Nasceu em 675, em Damasco (Síria) num período em que o Cristianismo tinha uma certa liberdade, tanto assim que o pai de João era muito cristão e amigo dos Sarracenos, que naquela época eram senhores do país. Esta estima estendia-se também ao filho. Os raros talentos e merecimentos deste levaram o Califa a distingui-lo com a sua confiança e nomeá-lo prefeito (mansur) de Damasco. João Damasceno ainda jovem e ajudante do pai gozava de muitos privilégios financeiros, mas ao crescer no amor ao Cristo pobre, deu atenção a Palavra que mostra a dificuldade dos ricos (apegados) para entrarem no Reino dos Céus. Assim, num impulso para a santidade, renunciou todos os bens e deu aos pobres. Preferiu São João uma vida de maus tratos ao se entregar as “delícias venenosas” do pecado. Retirou-se para um convento de São Sabas perto de Jerusalém e passou a viver na humildade, caridade e alegria. Escreveu inúmeras obras tratando de vários assuntos sobre teologia, dogmática, apologética e outros campos que fizeram de São João digno do título de Doutor da Igreja. Com escritos defendeu principalmente a Igreja contra os iconoclastas, que condenavam o uso de imagens nas Igrejas. Certa vez, os hereges prenderam São João e cortaram-lhe a mão direita a fim de não mais escrever, mas por intervenção de Nossa Senhora foi curado. Seu amor a Mãe de Jesus foi tão concreto que foi São João quem tornou presente a doutrina sobre a Imaculada Conceição, Maternidade divina, Virgindade perpétua e Assunção de corpo e alma de Maria. Este filho predileto da Mãe faleceu em 749, quase centenário. Foi declarado Doutor da Igreja pelo Papa Leão XIII em 1890.
Fonte- http://santo.cancaonova.com/

sábado, 3 de dezembro de 2016

Dia 3 de dezembro - Memória de São Francisco Xavier

Resultado de imagem para São Francisco Xavier
O coração de São Francisco foi cedendo ao amor de Jesus, o resultado se vê no fato de ter se tornado cofundador da Companhia de Jesus. A Igreja que na sua essência é missionária, teve no século XV e XVI um grande impulso do Espírito Santo para evangelizar a América e o Oriente. No Oriente, São Francisco Xavier destacou-se com uma santidade que o levou a ousadia de fundar várias missões, a ponto de ser conhecido como “São Paulo do Oriente”. Francisco nasceu no castelo de Xavier, na Espanha, a 7 de abril de 1506, sofreu com a guerra, onde aprendeu a nobreza e a valentia; com dezoito anos foi para Paris estudar, tornando-se doutor e professor. Vaidoso e ambicioso, buscava a glória de si até conhecer Inácio de Loyola, com quem fez amizade; e que sempre repetia ao novo amigo: “Francisco, que adianta o homem ganhar o mundo inteiro se perder a sua alma?” Com o tempo, e intercessão de Inácio, o coração de Francisco foi cedendo ao amor de Jesus, até que entrou no verdadeiro processo de conversão; o resultado se vê no fato de ter se tornado cofundador da Companhia de Jesus. Já como Padre, e empenhado no caminho da santidade, São Francisco Xavier foi designado por Inácio a ir em missão para o Oriente. Na Índia, fez frutuoso trabalho de evangelização que abrangeu todas as classes e idades, ao avançar para o Japão, submeteu-se em aprender a língua e os seus costumes, a fim de anunciar um Cristo encarnado. Ambicionando a China para Cristo, pôs-se a caminho, mas em uma ilha frente a sua nova missão, veio a falecer por causa da forte febre e cansaço. Esse grande santo missionário entrou no Céu com quarenta e seis anos, e percorreu grandes distâncias para anunciar o Evangelho, tanto assim que se colocássemos em uma linha suas viagens, daríamos três vezes a volta na Terra. São Francisco Xavier, com dez anos de apostolado, tornou-se merecidamente o Patrono Universal das Missões ao lado de Santa Teresinha do Menino Jesus.
Fonte- http://santo.cancaonova.com/